domingo,
Publicidade
x fechar anúncio
Orientações
Nutricionista dá dicas para manter a forma e combater o sedentarismo
Francisco Freitas também aproveitou para alertar que muitas doenças podem derivar de alimentos geneticamente modificados
Reprodução
Francisco Freitas, nutricionista e preparador físico de lutares do UFC

Aproveitando a época do verão e das férias, o nutricionista e preparador físico de atletas do UFC, Francisco Freitas, esteve nos estúdios do programa “Agora RN Live”, uma produção do Portal Agora RN, para dar dicas para nossos leitores manterem uma boa forma e combaterem o sedentarismo na estação mais movimentada no Brasil.

“Os bons hábitos alimentares devem ser para toda a vida e não apenas para uma estação. Treinos sazonais não bastam. Seja incorporando elementos físicos como musculação, corridas ou artes marciais, é preciso ocorrer todo dia, se possível. Pelo fato do verão ser a estação mais quente, isso leva o pessoal a fazer exercícios ao ar livre, o que causa uma transpiração maior. Então recomendo uma hidratação diária de 35ml a cada quilo do seu corpo”, explicou Francisco.

Freitas utilizou o exemplo do corpo dos animais para explicar que o sedentarismo não é algo inerente ao ser humano e que deve ser combatido sob risco de prejudicar a própria saúde e contrair doenças. “Não há como separar os exercícios de uma alimentação saudável. É preciso aliar isso. Veja o exemplos dos animais, que caçam, lutam para sobreviver e procriam. Eles e nós somos feitos para exercícios. O sedentário não faz atividades físicas e fica privado dessas coisas, prejudicando a própria saúde”, disse o nutricionista.

Francisco também aproveitou para alertar que muitas doenças podem derivar de alimentos geneticamente modificados. O nutricionista afirmou que o corpo humano não é naturalmente preparado para lidar com essas manipulações da composição química dos alimentos.

“Hoje em dia nosso corpo é exposto a alimentos que teoricamente não deveriam fazer parte de nossa alimentação. Conseguimos alterar a composição química desses alimentos ao longo dos séculos, mas será que nosso corpo evoluiu para também digeri-los como se deveria? A resposta é ‘não’. Esses alimentos passam por manipulações genéticas. O trigo que comemos hoje, não é o mesmo que comíamos no passado. Pesquisas recentes comprovam que uma infinidade de doenças tem ligação com aquilo que você consome. Alzheimer, por exemplo, está bastante ligado ao excesso de consumo de carboidratos”, alertou.

Para obter mais informações com o nutricionista, basta acessar seu perfil nas redes sociais ou através do telefone (84) 99430-1633.

Já para conferir mais dicas, confira a entrevista completa com Francisco Freitas: