segunda,
Pronunciamento
[VÍDEO] “Não renunciarei”, garante o presidente da República Michel Temer
Presidente refutou possibilidade de deixar o cargo diante das acusações de que teria comprado o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha em uma possível delação premiada
José Aldenir / Agora Imagens
Presidente da República Michel Temer em pronunciamento

O presidente da República Michel Temer (PMDB) prometeu que não vai renunciar a despeito das investigações que estão ocorrendo sobre seu governo. Temer, de acordo com delator da Operação Lava Jato, Joesley Batista, dono da JBS, foi gravado dando aval para compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) sobre uma possível delação. Em pronunciamento na tarde desta quinta-feira 18, Temer se defendeu das acusações e disse que não sairá do cargo.

“Nunca autorizei que utilizassem meu nome indevidamente, a investigação pedida pelo STF será território onde surgirão todas as explicações devidas. No Supremo demonstrarei não ter nenhum envolvimento com estes fatos. Por isso, quero registrar enfaticamente, NÃO RENUNCIAREI. REPITO, Não renunciarei. Sei o que fiz e sei quais foram os meus atos. Exijo investigação plena e muito rápida para esclarecimentos ao povo brasileiro. Esta situação não pode persistir por muito tempo. O meu único compromisso é com o Brasil”, disparou.

O presidente seguiu criticando a gravação da conversa – cuja existência não foi negada – e acusou aqueles que a divulgaram de tentarem sabotar seu planejamento de reformas para o Brasil.

“Nesta conversa gravada clandestinamente, foi trazido de volta o fantasma de crise política em uma proporção ainda não dimensionada. Estamos tentando tirar o pais de sua maior recessão, e tudo pode se tornar inútil. Não podemos jogar no lixo tanto trabalho em prol do país. Somente tive conhecimento desse fato nessa conversa pedida pelo empresário. Repito, em nenhum momento autorizei ninguém a ficar calado. Não comprei o silêncio de ninguém, por uma razão ‘singelíssima’, porque não temo nenhuma delação. Não preciso de cargo publico, nem foro especial, nada tenho a esconder”, garantiu o presidente.

Temer justificou a demora de seu pronunciamento ao fato de que estava, primeiramente, conhecendo o conteúdo das acusações. “Deixo logo ressalvo que só falo agora dos fatos que chegaram ontem, porque tentei conhecer primeiramente o conteúdo das gravações. Solicitei oficialmente acesso a esses documentos, mas até o presente momento não o consegui. Quero deixar muito claro que meu governo viveu nesta semana seu melhor e seu pior momento”, declarou.

ASSISTA AO PRONUNCIAMENTO