Discussão
Cerest discute condições de saúde dos frentistas em postos de combustíveis
Estão participando do curso, dentre outras pessoas, representantes do sindicato dos postos de combustíveis, engenheiros e técnicos de segurança do trabalho
Assessoria de Imprensa
Objetivo é discutir as condições de saúde e segurança nos postos de revenda de combustíveis

Discutir as condições de saúde e segurança nos postos de revenda de combustíveis. Esse é o objetivo do evento ‘Vigilância em Ambientes e Processo de Trabalho em Postos Revendedores de Combustíveis com Ênfase no Benzeno’, promovido pelos Centros de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) Municipal e Estadual desde o último dia 11 de setembro até esta sexta-feira, 14, no Cerest Natal.

Estão participando do curso, dentre outras pessoas, representantes do sindicato dos postos de combustíveis, engenheiros e técnicos de segurança do trabalho, médicos do trabalho, técnicos da ARSBAN, Vigilância em Saúde Ambiental, professores do IFRN e UFRN e o Ministério do Trabalho. As palestras são comandadas por técnicos da Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (FUNDACENTRO) de Pernambuco, Bahia e São Paulo.

“O curso está trazendo as experiências vividas pelos instrutores da FUNDACENTRO e casos relacionados ao trabalho de exposição ao benzeno e outros produtos perigosos e contaminantes que estão presentes no posto de revenda de combustíveis. É muito importante o olhar criterioso sobre o trabalhador que diariamente desenvolve sua atividade laboral e que muitas vezes se encontram em situação de risco nesses ambientes de trabalho”, destacou Emilia Melo, diretora do Cereste Municipal.

De acordo com estudos, a revenda de combustível a varejo envolve diversas situações de risco, como exposições a vapores tóxicos (com destaque para o benzeno), incêndio e explosão, exposição ao ruído, calor e umidade, condições sanitários e de conforto precárias e jornadas de trabalho excessivas.