Músicos mirins
Crianças e jovens de Umarizal integram banda filarmônica da cidade
Sucesso da banda é tão grande entre os moradores do município que o projeto recebeu 82 inscrições, matriculou 60 alunos e atualmente existem 18 numa lista de espera
João Vital
Filarmônica do município de Umarizal

Desde o final do ano passado o estudante Artur Matias, 11 anos, integra a filarmônica da cidade de Umarizal, podendo realizar sonho de tocar flauta doce e marchar pelas ruas do município. O aprendiz de músico é um dos 60 integrantes da banda financiada pelo Governo do Rio Grande do Norte por meio do projeto Governo Cidadão e Banco Mundial.

O projeto está oferecendo desenvolvimento e inclusão social às crianças e adolescentes de Umarizal, que como Júlio Maia, de 12 anos, não têm muitas oportunidades. A mãe Liduína Maia diz que aproveitou o gosto do filho pela música – que desde novo é encantado pela banda da igreja – e o inscreveu para ocupar seu tempo. “A cidade é parada, não tem projetos do tipo para a idade dele. A banda foi uma ótima alternativa”, comemora.

A mãe de Tauã, de 19 anos, Ana Célia, diz que ele vem do assentamento Remédio, a 11 quilômetros do centro de Umarizal, para estudar música e participar dos ensaios. De posse hoje de um trombone, ele esperava há muito tempo entrar para uma banda de música. “Desde pequeno ele diz que queria tocar em uma”, emenda.

O maestro Danilo Vanduiny reconhece que o projeto está mudando a vida das crianças e jovens de Umarizal. “A banda de música é uma tradição antiga e que não podemos deixar morrer, principalmente quando vivemos esse momento em que nossa cultura vai de mal a pior. É uma maneira de esses jovens ocuparem o tempo deles e terem acesso a música de qualidade”, destaca.

O sucesso da banda é tão grande que o projeto recebeu 82 inscrições, matriculou 60 alunos e atualmente existem 18 numa lista de espera. Os estudantes têm aula duas vezes por semana, das 8h às 20h, e a faixa etária varia de sete a 19 anos. A filarmônica de Umarizal recebeu R$ 90 mil em investimentos pelo projeto Governo Cidadão, que incluem desde os instrumentos musicais até equipamentos e remuneração do instrutor de música.

Para o coordenador do Governo Cidadão e titular da Sethas, Vagner Araújo, as bandas filarmônicas podem realmente transformar vidas. “Além de serem incluídos socialmente, esses jovens têm oportunidade de acessar cultura através da música e mostrar o que aprenderam a todo o município nas apresentações”, destaca.

Mais de três mil crianças e jovens estão sendo inseridos na iniciação musical com o projeto de Bandas Filarmônicas para Juventude. Os investimentos beneficiam 39 municípios e somam R$ 4 milhões. Cada associação beneficiada está recebendo aproximadamente R$ 90 mil para aquisição de 75 instrumentos musicais, incluindo materiais de consumo e acessórios, computadores e impressoras, além do apoio de um maestro por quatro meses e a formação técnica e sistemática para beneficiários e gestores.