Publicidade
Ato
Vereadores protestam contra possível fechamento do Hospital Ruy Pereira
Comissão de Saúde da Câmara Municipal participou nesta segunda-feira, 10, do protesto contra o fechamento do Hospital Estadual Doutor Ruy Pereira, localizado no bairro de Petrópolis
José Aldenir / Agora Imagens
Protesto contra o fechamento do Hospital Estadual Doutor Ruy Pereira, localizado no bairro de Petrópolis

A Comissão de Saúde da Câmara Municipal participou nesta segunda-feira, 10, de um protesto contra o fechamento do Hospital Estadual Doutor Ruy Pereira, localizado no bairro de Petrópolis. O ato também teve a participação de representantes do Sindicato dos Servidores em Saúde do RN (Sindsaúde).

O vereador Fernando Lucena (PT) afirmou que a comissão vai lutar pela manutenção da unidade. “Realmente tem que reformar, mas o que não pode é fechar o hospital. Vamos lutar para garantir o funcionamento dele”, garantiu.

O vereador Franklin Capistrano (PSB) disse afirmou ser contra o fechamento de qualquer unidade de saúde. “Quanto mais unidades de saúde melhor para a população”, disse. Ele comentou que deveria existir uma rede de medicina preventiva para evitar que o paciente diabético passe pelo procedimento de amputação de membros. “Se tivesse políticas públicas de prevenção, medicação e equipe medica multidisciplinar para orientar as pessoas, não chegaríamos a esta situação”, ressaltou.

Para vereador Cícero Martins, a unidade de saúde necessita de reformas urgentes. “Sinceramente, depois do que eu vi lá dentro eu não sei se é melhor fechar ou manter aberto porque estão tratando as pessoas lá dentro muito pior do que qualquer presidio de péssima qualidade”, declarou o vereador Cícero Martins.

Ainda nesta segunda-feira, por meio de nota oficial, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesap) anunciou a manutenção das atividades do hospital. A pasta também divulgou que irá renovar o contrato de aluguel do imóvel que atualmente abriga o Ruy Pereira.

O coordenador-geral do Sindsaúde, Flávio Gomes, falou que não acredita na nota do governo informando que o hospital não será fechado. “Nós não confiamos. Somos contra ao ataque aos usuários”, afirmou.

Publicidade
Publicidade