Câmara
Vereadores não esperam que prefeito fale em renúncia na mensagem anual
Apesar dos rumores, vereadores de Natal não acreditam Carlos Eduardo aborde o assunto no início dos trabalhos legislativo da Câmara
Prefeito de Natal - Carlos Eduardo (5)
José Aldenir / Agora Imagens
Prefeito Carlos Eduardo abre os trabalhos do legislativo municipal no próximo dia 15

O prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (PDT), vai abrir os trabalhos da Câmara Municipal no próximo dia 15. Na ocasião, ele vai apresentar o balanço das atividades de 2017 e projetar as ações para este ano. Este é um dos discursos mais aguardados pelos vereadores pelo fato de que pode ser a última mensagem dele como prefeito da cidade. Isso porque são recorrentes os rumores de que o pedetista irá deixar o cargo, em abril, para disputar o governo do Estado.

Mesmo com a possível renúncia do prefeito, os vereadores descartam que Carlos Eduardo aborde o assunto no primeiro encontro oficial com o legislativo municipal. Segundo a vereadora Nina Souza (PEN), a renúncia não será pauta da mensagem à Câmara. “A mensagem é baseada em esclarecimentos e prestação de contas. Ele [Carlos Eduardo] não irá abordar estas questões”, afirma.

Caso seja candidato ao Estado, Carlos Eduardo precisa renunciar até o dia 7 de abril, segundo exigência da legislação eleitoral. Deixando o Município, o vice, Álvaro Dias (PMDB), assume o cargo até 2020.

Para ela, uma das vozes governistas na Câmara, o prefeito vai trazer o balanço sobre as atividades de 2017. “Serão apresentadas as realização de todo o ano passado, além projetar as futuras atividades do Executivo. A expectativa é de um discurso bem positivo”, avalia.

Na opinião de Preto Aquino (PEN), o discurso será focado nos feitos da atual gestão. “Será um oportunidade de ouvi-lo. Espero que ele cite as ações que podem ser concluídas este ano”, aponta.

Sobre o uso político da mensagem, Preto Aquino diz que ainda é cedo para um possível anúncio de candidatura ao governo do Estado. “Acho que ele pode tocar neste assunto, mas é algo subjetivo. Acredito que ele pode ser  favorito ao governo, pois é um bom gestor, mas creio que ele se daria melhor ao se candidatar para o Senado”, pondera.

Vereadores de oposição também apontaram que o prefeito não irá trazer à baila o assunto da renúncia. “Ele ainda não tem claro essa questão da candidatura”, avalia Eleika Bezerra (PSL). Para ela, a mensagem do prefeito deva ser categórica. “Acho que o prefeito precisa se atentar à objetividade. O teor deve ser claro, para que nós, os vereadores, possamos cobrá-lo ao longo do ano”, reforça.

Para Sandro Pimentel (PSOL), as mensagens de Carlos Eduardo são ‘repetitivas’, pois não trazem avanços efetivos ao crescimento da cidade. “As mensagens dele são sempre as mesmas; nada se cumpre. É uma prestação de contas de um mundo de fantasias. Todas as mensagens dele são iguais. Nós [vereadores] não temos direito de falar, e é algo muito cansativo”, reclama.

Além disso, na opinião do vereador oposicionista, a mensagem não é lugar para discurso de campanha. “Ele não vai falar nada sobre a renúncia. Acho que ele ainda não definiu isso. Entretanto, tomara que ele renuncie e perca, para que Natal se livre deste prefeito”, finaliza.