Eleições
RN vai sentir falta de José Agripino e Garibaldi Alves, avalia Tomba Farias
Deputado estadual avalia que a política potiguar 'perdeu” com as derrotas nas urnas dos dois representantes das principais oligarquias do RN
José Aldenir / Agora RN
Tomba Farias foi reeleito no último domingo, 7, com um total de 41.249 votos

O deputado estadual Tomba Farias (PSDB) – reeleito no último domingo, 7, com um total de 41.249 votos – acredita que a renovação dos quadros para o legislativo (federal e estadual) vai gerar prejuízos ao Rio Grande do Norte. Ele avalia que a política potiguar “perdeu” com as derrotas José Agripino (Câmara Federal) e Garibaldi Alves (Senado).

Do atual quadro de 24 deputados estaduais, 15 conseguiram a manutenção do mandato. No entanto, nomes como Márcia Maia, Gustavo Fernandes e Ricardo Motta, que já foi presidente da Assembleia, não conseguiram a renovação.

Para a Câmara do Deputados, em Brasília, a mudança foi ainda mais profunda. Das oito vagas do Rio Grande do Norte, apenas três foram reeleitos – Fábio Faria (PSD), Rafael Motta (PSB) e Walter Alves (MDB). Além disso, o senador José Agripino, que desistiu da reeleição para tentar uma vaga na Câmara, também não conseguiu se eleger.

“A eleição foi atípica; foi rápida e cruel”, disse Tomba, em entrevista para a rádio 94 FM. O deputado terminou o primeiro turno como o quarto deputado estadual mais votado do Rio Grande do Norte. “Quem cuidou do seu reduto eleitoral acabou se sobressaindo nas eleições. O que me ajudou foi a minha credibilidade e o meu compromisso com a política”, analisa.

Segundo ele, as eleições decretaram o encerramento da vida política de figuras importantes da história política do Rio Grande do Norte. “A campanha excluiu algumas pessoas, e eu espero que as pessoas não tenham se arrependido. As pessoas preferiram o novo, mas acho que a troca foi desajustada. Perdemos José Agripino e Garibaldi Alves. O Rio Grande do Norte vai sentir”, analisa.

O parlamentar também comentou sobre ações tomadas para incrementar o turismo religioso no Rio Grande do Norte. Ele encampa o projeto que inclui um teleférico no Santuário de Santa Rita de Cassia. O equipamento liga o espaço à Igreja matriz da cidade.  “Até novembro teremos o teleférico. É um percurso de 956 metros”, detalha Tomba. A obra do teleférico foi inicializada em 2014, e está orçada em R$ 12,6 milhões.

Dentro do santuário está a estátua de Santa Rita de Cássia, com 56 metros de altura, considerado o maior monumento católico de todo o mundo.