Juntos
PSOL confirma apoio a Fátima Bezerra para o segundo turno das eleições
Nesta quinta-feira, 11, o PSOL/RN vai apresentar oficialmente o posicionamento do partido para a candidata Fátima Bezerra em seu comitê de campanha
Site oficial de Sandro Pimentel
Vereador Sandro Pimentel (PSOL) e o presidente potiguar da sigla Danniel Morais

O Diretório Estadual do PSOL no Rio Grande do Norte se reuniu na noite da última quarta-feira, 10, e definiu posicionamento para o segundo turno das eleições para o governo do estado do Rio Grande do Norte e para as eleições presidenciais. O partido vai seguir a orientação nacional da legenda e apoiar candidaturas que façam frente ao que Bolsonaro representa. Segundo nota elaborada pelo PSOL/RN, o partido terá como principal tarefa o enfrentamento ao projeto anti-democrático e de retirada de direitos sociais encabeçado pelo candidato do PSL.

Assim, no RN, o PSOL se somará a candidatura de Fátima Bezerra (PT), mesmo com divergências com o projeto petista. Para o PSOL/RN “o momento exige uma frente ampla de combate ao fascismo”. A nota salienta ainda que o apoio à candidatura de Fátima não está relacionado, de nenhuma maneira, a uma eventual composição de seu governo, caso eleita.

“Na atual conjuntura nacional contra o fascismo, e na conjuntura regional contra as oligarquias, o PSOL entende a necessidade de se posicionar claramente e tomar lado nessas eleições”, afirmou Danniel Morais, presidente da legenda no Rio Grande do Norte.

Nesta quinta-feira, 11, às 15h, o PSOL/RN vai apresentar oficialmente o posicionamento do partido para a candidata Fátima Bezerra em seu comitê de campanha, localizado na rua Professor Moura Rabelo, 1949, Candelária.

Leia a íntegra da nota do PSOL/RN:

A crise política de ordem tanto econômica quanto representativa que acomete o Brasil se expressou abertamente no primeiro turno das eleições. Com uma votação alarmante, a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL) chega ao segundo turno em um cenário acirrado de polarização, sob os escombros de uma campanha que esconde o caráter fascista que o seu programa carrega.

O PSOL, em aliança com o PCB e os movimentos sociais, apresentou a candidatura de Guilherme Boulos e Sonia Guajajara, que cumpriu um papel importante e necessário denunciando os privilégios da casta política (a qual está incluso o próprio Bolsonaro) em detrimento da profunda desigualdade social que atinge nosso país.
No Rio Grande do Norte, nossa chapa ao governo composta pelo Professor Carlos Alberto e Cida Dantas foi uma alternativa às oligarquias do estado, que defendeu um novo modelo de desenvolvimento para o RN, fundamentalmente popular e democrático. Saímos orgulhosos pois, além de preservamos nossa independência à velha política, conseguimos eleger o primeiro Deputado Estadual da história do PSOL/RN, Sandro Pimentel, trabalhador vigilante e morador de um dos bairros mais periféricos da capital potiguar.

No segundo turno, seguiremos a orientação nacional proposta pela Executiva Nacional do PSOL de apoiar candidaturas que façam frente ao que Bolsonaro representa. No RN, nos somaremos a campanha de Fátima Bezerra (PT), única candidata mulher no Brasil com chances reais de se tornar governadora. Mesmo mantendo largas divergências com o projeto petista, entendemos que o momento histórico exige de nós uma frente ampla de combate ao fascismo. Do outro lado da disputa está Carlos Eduardo Alves (PDT), continuidade da oligarquia Alves na política potiguar, que já sinalizou pleitear o apoio de Bolsonaro à sua candidatura e esteve a frente de uma gestão que atacou os servidores municipais em Natal.

Salientamos que o apoio a candidatura de Fátima Bezerra não está condicionado de forma alguma a uma eventual composição de seu governo, caso eleita. O PSOL nunca negociou seus princípios em troca de loteamento de cargos, ao contrário, sempre preservamos nossa independência, a exemplo de termos sido oposição de esquerda durante os 13 anos de governo do PT no Brasil. Além disso, também faremos exigências de tom programático, que reflitam o acúmulo do PSOL nas eleições.

Por fim, tomaremos como principal tarefa o enfrentamento ao projeto anti-democrático e de retirada de direitos sociais encabeçado por Jair Bolsonaro. Seguiremos na luta construindo a resistência nas ruas e ecoando #EleNão por todos os rincões do RN.

Diretório Estadual do PSOL/RN
Natal, 10 de outubro de 2018