Superfaturamento
Prefeito e vereador de Caicó deixam prisão no Comando da PM em Natal
Os dois estavam presos desde agosto após o Ministério Público constatar uma série de irregularidades por superfaturamento na área de iluminação pública
José Aldenir/Agora Imagens
Prefeito Batata não poderá assumir o cargo pelos próximos 180 dias

O prefeito de Caicó, Robson Araújo, mais conhecido como Batata, e o vereador Raimundo Inácio Filho, vulgo Lobão – ambos presos pela “Operação Tubérculo”, por superfaturamento em obras e licitações – foram soltos no início da tarde desta quarta-feira, 10.  O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN) acatou as medidas cautelares apresentadas pelos advogados. Mesmo soltos, eles ficarão afastados de suas funções pelos próximos 180 dias.

Batata, Lobão e o lobista Edvaldo Pessoa de Farias foram denunciados pelo Ministério Público por participação em um suposto desvio recursos públicos, especificamente no setor iluminação pública, por meio de fraudes com superfaturamento nas compras dos equipamentos e utensílios. Além disso, o prefeito Batata já havia sido denunciado duas vezes por corrupção ativa e passiva, dispensa indevida de licitação e associação criminosa.

Já o vereador Lobão responde processos por corrupção ativa duas vezes e o lobista por corrupção passiva, tráfico de influência e associação criminosa. De acordo com a denúncia do Ministério Público, só o prefeito teria recebido R$ 70 mil em propina. A “Operação Tubérculo” é um desdobramento da “Operação Cidade Luz”, iniciada em julho do ano passado por um esquema criminoso na Secretaria Municipal de Serviços Urbanos de Natal, e também da “Operação Blackout”, que aponta para um superfaturamento e pagamento de propina para manutenção do contrato de iluminação pública.