Certeza
Lucena diz “não ter dúvidas” de que nova licitação dos transportes será deserta
Para o parlamentar, o projeto não muda muito a qualidade dos transportes e a razoabilidade das tarifas, e continuará beneficiando somente os empresários e prejudicando a população
José Aldenir / Agora RN
Fernando Lucena (PT), vereador de Natal

O vereador Fernando Lucena (PT), único a votar contra a reforma do projeto de licitação dos transportes de Natal, na Câmara Municipal, afirmou que o próximo certame licitatório dará deserto. Para o parlamentar, o projeto não muda muito a qualidade dos transportes e a razoabilidade das tarifas, e continuará beneficiando somente os empresários e prejudicando a população.

“A nova licitação vai dar deserta de novo. O Seturn [Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros do Município do Natal] manda em tudo, é o dono do mundo. Eles tentam mudar tudo para não mudar nada. O bom para o empresário é continuar como está. Aqui é o paraíso deles, por que vão querer mudar? A prefeitura não tem autoridade nem punho para impor o cumprimento da lei”, criticou o vereador, em entrevista à Rádio 96FM.

Um dos princípios da Administração Pública é que o Poder Público deve sempre prevalecer sobre o interesse privado. Para Fernando Lucena, este preceito não vem sendo respeito. “As empresas têm que ser enquadradas na lei. O prefeito [Álvaro Dias, MDB] mandou uma lei para Câmara para a população se adequar ao sistema coletivo, mas devia ser o contrário. Do jeito que está, está muito bom para eles, mas vai dar deserto de novo, o prefeito tem que se preparar para tomar uma atitude firme”, avaliou.

Duas das emendas aprovadas na Câmara foram criticadas por Fernando Lucena: a porcentagem de renovação da frota e a manutenção da dupla função, quando o motorista também atua como cobrador.

“Numa lei anterior da Câmara, a renovação seria de 50% com modelo de veículos novos, mas agora caiu para 30%. O cidadão natalense ter o pior transporte do Nordeste e o mais caro. Em Pernambuco e Recife, você tem 12h de vencimento de passagem, aqui não. Imagina se a gente fizesse uma proposta dessas aqui. Além disso, tem a dupla função uma aberração. O motorista com jornada grande, vai passando troco, sendo xingado, e aumenta em 2h o itinerário, para ganhar só 10% a mais. É o paraíso do empresários. Baixou a passagem com a manutenção da dupla função? Não baixou. Tem que isolar o motorista e automatizar o sistema”, concluiu.