Ideia
Flávio Rocha apresenta Pró-Sertão como proposta para garantia de emprego
Em 2013, com o título de Programa de Interiorização da Indústria Têxtil do Rio Grande do Norte, o Pró-Sertão foi implantado pela secretaria de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Norte
José Aldenir / Agora Imagens
Empresário e pré-candidato à presidência da República, Flávio Rocha (PRB)

 

Em um vídeo de três minutos e meio, o empresário Flávio Rocha (PRB), ex-presidente das Lojas Riachuelo e pré-candidato à presidência da República, apresentou o Pró-Sertão como a solução para garantir o emprego na região marcada pela seca e pela pobreza. E, consequentemente, promover uma transformação social no Nordeste.

O programa foi idealizado por Rocha depois que ele esteve na Galícia, no norte da Espanha, em meados de 2009 e visitou as oficinas de costura terceirizadas na região. Em 2013, com o título de Programa de Interiorização da Indústria Têxtil do Rio Grande do Norte, o Pró-Sertão foi implantado pela secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado, em parceria com a Federação das Indústrias (Fiern) e o Sebrae/RN.

Cinco anos se passaram para o Pró-Sertão. Já foram cinco mil carteiras de trabalho assinadas, 90% pela primeira vez. Flávio Rocha diz que tem intenção de expandir o modelo. “A nossa ideia é multiplicar o Pró-Sertão para todo o Nordeste. É um modelo que pode ser reproduzido em todo o país. É a geração de emprego como uma porta de saída para o Bolsa Família”, defende o pré-candidato à presidência da República. “O Nordeste tem uma grande vocação para a indústria têxtil”.

Hoje, o Pró-Sertão tem 61 oficinas de costura terceirizadas em 50 pequenas cidades. As oficinas atendem pedidos e demandas de 15 empresas em todo o país. O programa gera 5 mil empregos diretos e beneficia 50 mil pessoas indiretamente. “Isso pode ser quintuplicado no nosso governo. E pode transformar regiões inteiras devastadas pela Seca”, enfatiza Rocha. “Posso assegurar que isso será um verdadeiro milagre econômico para o Nordeste”.