Publicidade
Avaliação dos 100 dias
“Bolsonaro parece procurar o desmantelo do Brasil”, critica senador Jean Paul Prates
Herdeiro da vaga da governadora Fátima Bezerra no Senado Federal avaliou o início da gestão do militar na Presidência da República e fez um balanço negativo
José Aldenir / Agora RN
Jean Paul Prates, senador pelo PT-RN

O senador Jean Paul Prates (PT-RN) fez um balanço negativo dos primeiros 100 dias de gestão de Jair Bolsonaro (PSL) à frente da Presidência da República. De acordo com o parlamentar, uma das principais preocupações que o governo causa atualmente é quanto ao plano de privatizações viabilizado pela equipe econômica liderada pelo ministro Paulo Guedes. Prates crê que as ideias apresentadas “ameaçam a economia nacional”.

“O Palácio do Planalto persegue um plano de privatizações que ameaça a economia ao vender refinarias, dutos e outros ativos da Petrobras, e insistindo em forçar a venda direta da holding do sistema elétrico nacional – Eletrobras – com todas as suas subsidiárias regionais que, além de gerar e escoar a maior parte da energia consumida pelo país, controlam a vazão das nossas principais bacias hidrográficas”, explicou.

Segundo o senador, as ideias de Bolsonaro parecem procurar o desmantelamento do Estado brasileiro ao invés de aprimorar sua eficiência. “Precisamos mostrar o quanto isso será danoso para a indústria, os mercados locais e a sociedade em geral; estruturar propostas alternativas para preservar as conquistas sociais; e manter uma estrutura regulatória que se preocupe com o interesse coletivo”, analisou.

Prates ainda destacou que a gestão do militar à frente da Presidência está encontrando resistência popular, vez que algumas pesquisas já atestam a queda da aprovação do governo. “Ele chegou aos 100 dias com rejeição popular e fora de sintonia com o sentimento do povo. A reforma da Previdência e o pacote anti-crime são rechaçados pela opinião pública, como já atestam as pesquisas”, concluiu.

Fátima faz mandato eficiente mesmo diante de caos financeiro, crê senador

Herdeiro da vaga da governadora Fátima Bezerra (PT) no Senado Federal, Jean Paul Prates fez uma avaliação positiva do início da gestão da petista no Executivo estadual. Para o parlamentar, a correligionária herdou o Estado com déficit bilionário e, mesmo assim, vem conseguindo aplicar ações importantes em diversas áreas essenciais da administração pública.

“A redução de 33% no número de homicídios no primeiro trimestre é uma notícia que merece ser comemorada, uma vez que a insegurança é um dos problemas que mais preocupam a população. Esse resultado é fruto do comprometimento da nova gestão com a integração da segurança pública visando reduzir a violência”, avaliou o senador, que também destacou a chegada de 50 novos parques eólicos que serão instalados no RN.

“(Esses parques) significam novas oportunidades de emprego e renda na chamada economia sustentável. Isso só é possível porque o governo tem compromisso com a transparência e com o desenvolvimento”, defendeu Prates, que ainda citou como marcas positivas da gestão Fátima a redução das despesas e a recuperação de impostos por grandes devedores ao Rio Grande do Norte.

“Para reduzir gastos, o governo revisou contratos, cortou o pagamento de diárias e, só em combustível, economizou R$ 530 mil. Sem contar na recuperação de R$ 39 milhões em impostos devidos, a aprovação da antecipação dos royalties do petróleo para quitar parte dos salários atrasados dos servidores e a prorrogação do convênio com o Banco Mundial, que garantiu R$ 600 milhões para investimentos”, concluiu.

Publicidade
Publicidade