Publicidade
Transporte público
Após denúncias do Agora RN, STTU expõe termo que prevê construção de 50 abrigos
Documento, porém, não informa o custo da construção dos abrigos; tampouco é dito se o custo dos abrigos estaria inserido na composição tarifária e, caso estivesse, de que maneira
José Aldenir / Agora RN
Elequicina Santos, titular da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana

A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU), administrada pela secretária Elequicina Santos, divulgou termo de compromisso firmado em maio deste ano com o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos (Seturn) em que expõe os detalhes do acordo que aprovava o reajuste das tarifas de transporte público de Natal em R$ 3,65.

Em troca do aumento das passagens, o Seturn deveria cumprir dois pontos especificados no documento:

Instalação de 50 novos abrigos de passageiros em até quatro meses (isto é, o prazo se esgota agora em setembro), com placa indicativa de linhas contendo braile e acessibilidade no passeio do tipo convencional nas paradas de ônibus de Natal nos endereços indicados pela STTU.

Recuperação total das antigas estações de transferência, totalizando sete, contemplando pintura, estrutura, piso, iluminação, acessibilidade, placas indicativas de linhas contendo braile, e qualquer recuperação que se faça necessário, no prazo de 150 dias e manutenção durante um ano.

O documento, contudo, não especifica detalhes do acordo e das obras nele constam. O custo da construção dos abrigos, por exemplo, não é esclarecido pelo termo firmado entre a STTU e o Seturn. Tampouco é dito se o custo dos abrigos estaria inserido na composição tarifária e, caso estivesse, de que maneira.

O assunto, que vinha sendo tratado em segredo, foi exposto pela reportagem do Agora RN na última segunda-feira, 26. O Seturn alegou não saber qual empresa está responsável pela construção das novas paradas de ônibus que serão instaladas na capital potiguar.

No início do mês de setembro, o Ministério Público do Rio Grande do Norte abriu um inquérito para apurar se houve aumento da tarifa de ônibus em Natal em troca de recebimento de propina em forma de doação eleitoral. O dinheiro teria vindo de empresário, proprietário de uma empresa de ônibus, para a candidatura do ex-prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) ao Governo do RN.

Publicidade
Publicidade