Publicidade
Infiltrados
Operação do MP prende advogado que tentava antecipar decisão judicial
Segundo o Ministério Público Estadual, advogado Allan Clayton preso preventivamente nesta segunda-feira teria pago propina de R$ 70 mil para antecipar o teor de uma decisão judicial
José Aldenir / Agora RN
Ministério Público do Rio Grande do Norte

O advogado Allan Clayton Pereira de Almeida foi preso preventivamente nesta segunda-feira, 10, em Natal, como parte da Operação Infiltrados, que investiga suposta negociação de um processo que tramita no Tribunal de Justiça. Além da prisão preventiva dele, mais quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Natal e Parnamirim.

Segundo o MP, Clayton teria pago propina de R$ 70 mil em espécie para dois advogados – um ex-assessor da Assembleia e sobrinho de um desembargador do TJ, e outro, igualmente advogado, ex-servidor da Assembleia e ex-assessor do Tribunal de Justiça. São eles, pela ordem, Rodrigo Fernandes de Paiva e Flávio Humberto de Noronha Freire, que teria recebido o dinheiro.

Embora a prisão preventiva de ambos já tenha sido pedida pelos promotores, até o momento apenas a de Allan Clayton havia sido concedida agora pela manhã pelo juiz da 5ª Vara de Natal.  

O pagamento da propina se deu mediante antecipação da decisão de um processo que tramitava naquele tribunal, relatado pelo desembargador Glauber Rego. Mas, como o resultado teria sido desfavorável ao cliente de Clayton, este estaria exigindo a devolução do dinheiro da propina, bem como extorquindo e ameaçando os advogados.

Confira os pedidos do MPRN, a reconsideração da prisão e a decisão.

Publicidade
Publicidade