Combate ao crime
MPRN realiza ação contra lavagem de dinheiro em Natal e em São Gonçalo do Amarante
Quatro mandados de busca e apreensão foram cumpridos pelo MPRN e Polícia Militar; dinheiro do tráfico era transferido para contas bancárias
Fachada do MPRN
José Aldenir / Agora Imagens
. Os alvos deixavam que traficantes movimentassem suas contas bancárias

Uma ação conjunta do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) e da Polícia Militar foi realizada na manhã desta sexta-feira, 09, para combater a lavagem de dinheiro proveniente do tráfico de drogas em Natal e em São Gonçalo do Amarante, cidade da região metropolitana. Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão, resultando no recolhimento de aparelhos de telefone celular, documentos e ainda dinheiro em espécie.

As investigações apontam que os proprietários dos alvos dos mandados estariam auxiliando traficantes de drogas que atuam no Rio Grande do Norte e em Pernambuco a lavar o dinheiro obtido através do crime. Os alvos deixavam que traficantes movimentassem suas contas bancárias. Além do tráfico de drogas e lavagem, os investigados são suspeitos de associação para o tráfico, uso de documento falso e porte ilegal de arma de fogo.

Os mandados em Natal foram cumpridos nos bairros de Ponta Negra, Lagoa Nova e Igapó. A ação é fruto de um trabalho investigativo da Promotoria de Combate à Macrocriminalidade e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), órgão do MPRN. O material apreendido vai passar por perícia técnica e deverá servir para novas investigações.

A população potiguar pode ajudar o MPRN a combater crimes em geral. O Gaeco conta com o Disque Denúncia 127, bastando o cidadão ligar gratuitamente para fazer as denúncias. A identidade da fonte será preservada.

Além do telefone, as denúncias também podem ser encaminhadas por Whatsapp para o número (84) 98863-4585 ou e-mail para disque.denuncia@mprn.mp.br. Os cidadãos podem encaminhar informações em geral que possam levar à prisão de criminosos, denunciar atos de corrupção e crimes de qualquer natureza. No Whatsapp, são aceitos textos, fotos, áudios e vídeos que possam comprovar as informações oferecidas.