Publicidade
Resultados
Após segurança intensificada, Porto de Natal não registra casos de tráfico
Operação “Pele de Sapo” foi realizada em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal, Receita Federal do Brasil e Ministério da Agricultura
José Aldenir / Agora RN
Nova operação da Polícia Federal não encontrou ilicitudes nas cargas do Porto de Natal

A Polícia Federal realizou mais uma operação no Porto de Natal com o intuito de investigar possíveis ilícitas sendo contrabandeadas. Desta vez, as autoridades não identificaram nenhuma carga clandestina.

A Operação “Pele de Sapo” foi realizada em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal, Receita Federal do Brasil e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, tendo o objetivo de coibir o tráfico internacional de drogas nas cargas de origem agropecuária na Grande Natal.

De acordo com Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern), a ação “demonstra a melhoria do nível de segurança, intensificado com o apoio dos órgãos de fiscalização envolvidos na Operação”.

Histórico

Em fevereiro deste ano, agentes da Polícia Federal apreenderam mais de três toneladas de cocaína. A droga estava dentro de contêineres, em meio a frutas. No mês de maio, uma nova apreensão. Pouco mais de uma tonelada da droga foi encontrada em um carregamento de mangas. Em todos os casos, o destino era a Holanda (Países Baixos).

O porto ficou cerca de 45 dias sem realizar exportações para a Europa, entre o final de fevereiro e começo de abril, como resultado de uma medida da empresa francesa CMA/CGM, responsável pelo transporte das cargas. O deputado Walter Alves (MDB-RN) apresentou, na última semana, uma emenda para a aquisição de um scanner, como intuito de facilitar a identificação de cargas ilícitas.

Publicidade
Publicidade