domingo, 26 de março de 2017
Nojento
Veja o que pode acontecer quando você deixa um cão lamber sua boca
Os nomes científicos para todas essas bactérias são diferentes, mas o resultado da presença delas é basicamente o mesmo: doença periodontal
u536i
Divulgação
O estudo revelou a presença de três tipos de bactérias causadoras de doenças

Todos nós já acariciamos um cachorro, e certamente a maioria já experimentou reciprocidade, representada por uma grande lambida na boca. Mas será que isso é saudável? De acordo com um artigo publicado no site do autor e apresentador Cesar Millan (“O Encantador de Cães”), um estudo recente pode fazer você pensar duas vezes antes de deixar um cão lamber seu rosto.

Em 2011, uma equipe de pesquisadores japoneses coletou amostras de placas dentárias de 66 cachorros e 81 humanos que visitaram escolas de treinamento de cães e clínicas de animais em Okayama, no Japão. A placa foi colocada sob análises microscópicas, a fim de verificar sinais de bactérias. Os resultados, publicados em Archives of Oral Biology, determinaram que os humanos e cães contêm bactérias comuns que poderiam ter sido transferidas entre si por meio de “beijos”.

Os pesquisadores encontraram evidências de bactérias causadoras de doenças na placa de animais e humanos testados. Essas espécies estão associadas a um problema bucal chamado periodontite, que causa a destruição dos tecidos de suporte dos dentes e pode resultar em doenças cardíacas, renais e diabetes.

u45i4i

O estudo revelou a presença de três tipos de bactérias causadoras de doenças, a Porphyromonas gulae, Tannerella forsythia e Campylobacter rectus. Enquanto elas foram frequentemente encontradas em cães, as taxas de detecção em humanos eram menores. Logo, tal constatação derruba o mito que diz que a boca dos cães é mais limpa do que a nossa.

Ainda, as amostras revelaram a presença de Porphyromonas gulae em 13 indivíduos humanos, bem como em todos os cães testados. Além disso, os pesquisadores afirmaram no estudo que as bactérias conhecidas como Eikenella corrodens e Treponema denticola, presentes em todas as amostras obtidas de cães, foram correlacionadas com a presença de semelhantes encontradas na boca dos proprietários desses animais.

Os nomes científicos para todas essas bactérias são diferentes, mas o resultado da presença delas é basicamente o mesmo: doença periodontal. Contudo, se o estudo em questão ainda não foi convincente o suficiente para você, Dr. Mehmet Oz, que apresentou um quadro sobre animais no programa da Oprah por anos, já avisou sobre os potenciais riscos envolvendo a lambida do cão.

“Se o seu cão é lixeiro, deixá-lo lamber seus lábios poderia comprometer sua saúde”, disse ele em uma entrevista para a People Pets. “O hot-dog que ele encontrou na rua, ou as fezes que outrora estava mordiscando, podem estar carregados de germes e bactérias, como a toxocara, salmonella, giardia, ancylostoma, tênia e muitos outros, que colocarão a saúde da sua família em risco”.

Em suma, por mais adorável que seja receber esse tipo de afeto dos animais, a verdade é que isso vem acompanhado de potenciais risco para a saúde. Logo, ao invés de uma lambida, prefira dar um abraço ou outras formas de carinho mais seguras.

 

 

Fonte: Jornal Ciência