Publicidade
Cuidado
Tumor hormonal em cães: saiba mais sobre a doença que pode agravar
Quando o tumor deixa de ser apenas um crescimento anormal da massa e se torna algo mais grave, é denominado maligno ou cancerígeno
Reprodução/Shutterstock
O tumor hormonal se diferencia por estar vinculado a receptores hormonais

É sabido que o câncer está entre as doenças mais perigosas, tanto para os humanos quanto para os animais. E um dos maiores problemas dessa enfermidade é que nem sempre há possibilidade de cura. Como afeta várias partes do corpo, a doença vai ganhando diferentes denominações, como é o caso do tumor hormonal.

Um tumor hormonal pode ser benigno ou maligno, mas o que torna essa doença diferente é o fato de estar vinculado a determinadas hormonas. Ou seja, esse tipo de tumor contém receptores hormonais e, quanto mais ele captar, mais irá crescer, independente da natureza do mesmo.

Vale lembrar que nem todo tumor é considerado um câncer. Esse termo é utilizado para designar um crescimento anormal a partir de uma massa que, de forma natural, já estava no organismo do cachorro. A partir disso, essa anomalia se divide em benigna e maligna.

Um tumor benigno não apresenta risco de metástase, ou seja, expansão. Seu maior risco é a pressão exercida sobre órgãos e tecidos adjacentes, assim como o incômodo e transtornos que pode provocar na saúde do bichinho.

Porém, quando o tumor deixa de ser apenas um crescimento anormal da massa e se torna algo mais grave, é denominado maligno ou cancerígeno. Nesse caso, existe um grande risco de metástase, fazendo com que as células cancerígenas se reproduzem e migrem para outros tecidos. Quando o tumor tem essas características, pode ser chamado de câncer.

De acordo com a nomenclatura médica, os dois tipos de tumores ganham nomes diferenciados. Se for benigno, é chamado de adenoma, mas quando é maligno, ganha o nome de carcinoma. É importante saber diferenciá-los para ter uma noção de como agir caso seu canino seja afetado pela doença.

Fonte: iG

Publicidade
Publicidade