Dentucinhos
Saiba como cuidar do seu porquinho da índia com informações variadas
Se você não pretende popular o mundo com Porquinhos-da-índia, não crie fêmeas e machos juntos, eles vão procriar. E muito!
Istock
A princípio, são animaizinhos tímidos, porém muito afetuosos

Eles parecem verdadeiras perucas ambulantes e, de tão fofos, temos que segurar nossos impulsos para não esmagá-los de amor. Estamos falando dos Porquinhos-da-índia, um dos roedores mais meigos e conhecidos no mundo dos pets.

Origem

Primeiro de tudo, o nome deste serzinho não poderia ser mais incoerente: como dito anteriormente, ele não é um suíno, mas, sim, um pequeno mamífero roedor e suas origens estão aqui pela América do Sul, passando bem longe de ter qualquer mistura indiana no sangue.

Recinto

A versão doméstica do Porquinho-da-índia pode ser criada em gaiola, desde que o espaço seja amplo e você possa colocar o animal em lugares abertos para tomar um ar fresco de vez em quando – mas nada de torrar no sol, afinal, é um animal sensível ao calor, sendo que a temperatura ambiente ideal para a espécie pode variar entre 18°C e 25°C.

Também é importante prover um recinto com piso sólido (arame, jamais!) e forrado com substrato seco, composto de maravalha (serragem) e feno. Além de colocar comedouros e bebedouros na gaiola, não se esqueça de enriquecer o ambiente com tocas e objetos para fazer com que o porquinho se exercite e possa brincar, como caixas de papelão, canos de PVC e redinhas.

Ah! Se você não pretende popular o mundo com  Porquinhos-da-índia, não crie fêmeas e machos juntos, eles vão procriar. E muito!

Alimentação                            

O primeiro mandamento para manter um porquinho saudável é ter sempre água fresca e limpinha nos bebedouros e oferecer alimentos variados que componham a pirâmide alimentar dele: ração específica da espécie e feno (componentes básicos), vegetais frescos (como escarola e couve) e algumas frutas (por exemplo, melancia e maçã).

Como os dentes incisivos da espécie crescem continuamente, também é importante disponibilizar objetos que possam ser roídos – tipo blocos de madeira – para desgastar os dentinhos e evitar problemas de saúde, como doenças periodontais e formação de abscessos. As unhas destes bichinhos também devem ser aparadas regularmente.

Pelos e higiene

Quanto à cabeleira, a frequência da escovação vai depender do comprimento dos fios da pelagem do seu pet – quanto mais longo o pelo, mais sessões de escovação serão necessárias semanalmente. Também vale fazer uma tosa higiênica vez ou outra nos porquinhos de pelo longo para que eles não fiquem se sujando com o próprio xixi e cocô.

Temperamento

A princípio, são animaizinhos tímidos, porém muito afetuosos. Seu manuseio deve ser, simultaneamente, firme e gentil. Aliás, vale uma dica preciosa sobre este quesito: nunca, jamais, em hipótese alguma, vá com suas mãos em direção ao bichinho por cima da gaiola – eles vão gritar de pavor, literalmente. Isto se deve ao fato de um dos predadores dos porquinhos na natureza serem os pássaros. Portanto, para o seu pequeno pet não confundir seu afago com os últimos minutos de vida dele, aborde-os sempre de frente e em um nível bem baixo.

No mais, são animais bem espertinhos e muitos deles associam rapidamente sons a aspectos positivos ou negativos. Por isso, é bem provável que você ouça alguns “cui-cuis” quando abrir a porta da geladeira para pegar verduras para seu pet, pois ele já saberá que um banquete está por vir.

 

 

Fonte: Site Melhores amigos