Necessário
Por que é tão importante vermifugar nossos animais de estimação?
A primeira dose de vermífugo deve ser dada ao seu cãozinho ou gatinho por volta dos 30 dias de vida
iStock/Thinkstock
A vermifugação deve ser realizada de 2 a 3 vezes por ano

O aumento significativo da população de cães e gatos vem sendo impulsionado cada vez mais pela mudança de hábitos das pessoas. A rotina corrida nas grandes cidades acabou servindo de alavanca para o crescimento do número de pets. Muitas pessoas acabam optando por terem filhos mais tarde ou casando mais tarde, e é exatamente neste momento que surge aquele cãozinho ou gatinho para encher a casa de alegria e preencher aquele vazio de uma vida corrida.

Mas mesmo com a vida corrida, a opção de ter um pet em casa implica também em muitas responsabilidades e cuidados. E a vermifugação é um deles. Quando realizada de forma correta, além de proteger o pet, atua também na prevenção da transmissão de infecções de origem parasitária para o resto da família, pois alguns parasitas intestinais de cães e gatos carregam um risco zoonótico, ou seja, podem ser transmitidos para você e sua família.

A primeira dose de vermífugo deve ser dada ao seu cãozinho ou gatinho por volta dos 30 dias de vida, repetindo a dose 15 dias depois. No caso de filhotes e gatos, vermífugos em pasta facilitam a administração. Para que o tratamento tenha sucesso, é importante que seja feito em todos os animais que tenham contato com o filhote (outros filhotes e até animais adultos) para que eles não sejam uma fonte de reinfecção. Animais adultos também devem ser regularmente tratados.

Como forma de prevenção à inúmeras verminoses, a vermifugação deve ser realizada de 2 a 3 vezes por ano, ou de acordo com a orientação do Médico Veterinário.

Além da vermifugação, um controle antipulgas e carrapatos é extremamente importante, pois esses ectoparasitas também podem transmitir doenças para os pets.

Alguns dos danos causados pelos parasitas aos pets são: perda de peso, menor aproveitamento dos nutrientes, vômitos e diarreias, aumento e dor abdominal. Vale lembrar que muitas vezes o animal pode não apresentar nenhum sintoma, e mesmo assim, portar parasitas em seu intestino.

A visita periódica ao Médico Veterinário, acompanhada por um exame de fezes, se faz fundamental. Se o exame apresentar alguma alteração, o veterinário estará apto a indicar o vermífugo adequado para o seu pet. Proteja-o e proteja a sua família!

 

 

Fonte: Mundo Animal