segunda, 23 de janeiro de 2017
Entenda
Ignorar pode ser uma grande arma na hora de educar o cachorro
Adestrar um cachorro pode não ser uma tarefa muito fácil e existem diferentes maneiras de conseguir a atenção do animal
tpp89
Ilustração
Ele aprende que os latidos geram atenção e começa a agir assim com mais e mais frequência

Existem diferentes formas de educar o cachorro e ignorar determinados comportamentos pode ser uma bastante eficaz. Pode ser bastante desagradável ter, por exemplo, um cachorrinho que pula nas visitas, tenta destruir os sapatos, mexe em objetos perigosos. Essas atitudes, muito corriqueiras, podem estar sendo incentivadas pelo próprio tutor.

Especialmente quando ainda são filhotes, tendemos a nos comover com a fofura e até a pedir que o pet pule nas nossas pernas para facilitar o carinho que temos a oferecer. Ou, como forma de repreendê-lo, caso ele pegue algo que não é dele, o tutor corre atrás, tornando o que deveria ser uma bronca uma divertida brincadeira de pega-pega.

O que ignorar tem a ver?

Ignorar é algo muito simples e eficiente, e pode funcionar bastante. Mas lembrando que é necessário um pouco de frieza por parte do tutor, com a certeza de que essa é a atitude acertada. É importante deixar aquele sentimento de dó de lado, especialmente quando o pet fizer aquela cara de “pidão”.

Um exemplo clássico de como ignorar comportamentos indesejados pode ser eficiente são os latidos. Os cães vocalizam por vários motivos, entre eles, para chamar a atenção daqueles que fazem parte do grupo, inclusive os seres humanos da família.

Quando os tutores não estão dando atenção para o cachorro, a reação normal quando ele late é ao menos olhar na direção dele. Ponto para ele: quis atenção e conseguiu.

Assim, rapidamente ele aprende que os latidos geram atenção e começa a agir assim com mais e mais frequência, o que pode se tornar um inconveniente e tanto.

Por isso, o ideal é, quando o cão latir, não fazer nem contato visual com ele. Isso mesmo, esperar um pouco e somente quando ele estiver quieto, fazendo outra coisa, é que damos atenção.

 

 

Fonte: iG