Chile
Cães de terapia ajudam crianças com autismo em consultas odontológicas
Graças à ajuda dos cachorros, crianças com necessidades especiais estão conseguindo cuidar da sua saúde bucal sem precisar serem sedadas ou receber anestesia geral
Reprodução/Instagram
No começo, alguns dentistas não ficaram tão à vontade com a ideia

Se para muitas pessoas fazer uma visita ao dentista pode ser bem estressante, para quem tem necessidades especiais, como autismo, Síndrome de Down, entre outras, pode ser ainda mais complicado.

Pensando em ajudar pacientes crianças com necessidades especiais a lidar com a ansiedade e as dificuldades de comunicação que podem acontecer durante as consultas odontológicas, consultórios no Chile estão contando com o auxílio de cães de terapia.

No começo, alguns dentistas não ficaram tão à vontade com a ideia, pois apesar de ótimas companhias, não é tão fácil pensar que cachorro combina com um lugar que precisa ser tão limpo quanto um consultório odontológico, ainda mais durante procedimentos delicados.

Porém, a outra opção que os dentistas tinham para tratar pacientes com necessidades especiais era a anestesia geral, que afeta todo o corpo, pode ser perigosa e não é indicado seu uso para qualquer procedimento, apenas quando for realmente necessário.

Os cães de terapia surgiram como uma ótima forma de ajudar crianças a receberem atendimento sem que elas precisem ser sedadas e nem receber mais medicamentos do que o essencial.

Dessa forma, cães de terapia que fazem parte de uma organização sem fins lucrativos chamada “Junto A Ti”, em Santiago, no Chile, e que trabalham para ajudar pessoas com autismo a se sentirem mais seguras e calmas durante consultas, estão auxiliando os pacientes também em suas visitas ao dentista.

De acordo com os dentistas que estão aceitando essa ajuda canina, os animais realmente estão deixando os pacientes bem mais tranquilos, de forma que eles permitem que sejam realizados diversos procedimentos, como exames de rotina e até cirurgias, sem a necessidade de medicamentos extras ou sedativos.

 

 

Fonte: Portal do Dog