quinta,
Rio de Janeiro
Três homens acusados de envolvimento na morte de PM são presos
Ainda na noite de sexta, equipes do Méier Presente prenderam Hélio Alves de Souza, de 29 anos, na Rua Maria Calmon
Dayane Resende
Criminosos abandonaram o carro no local e fugiram

Policiais Militares prenderam três homens envolvidos em uma perseguição da polícia a um veículo suspeito que terminou com a morte do soldado Samir da Silva Oliveira, de 37 anos, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) São João e baleado na Avenida 24 de maio, no Méier, Zona Norte do Rio, na noite de sexta-feira.

Ele chegou a ser levado ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu aos ferimentos. Samir, de 37 anos, era casado e deixa uma filha, de sete anos. Ele estava na corporação desde 2013, e foi o 95º policial militar morto no Rio desde o início deste ano.

Ainda na noite de sexta, equipes do Méier Presente prenderam Hélio Alves de Souza, de 29 anos, na Rua Maria Calmon. Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o suspeito é um dos líderes do tráfico de drogas na comunidade Cachoeira Grande, no Complexo do Lins, na ZOna Norte. No momento da prisão, ele foi flagrado com uma pistola calibre .40, e o carro utilizado pelos criminosos.

Em outro ponto, os policiais da UPP Lins prenderam Lizien Francisco da Silva Alves, de 32 anos, e Jamerson Gonçalves de Andrade, de 30 anos, em uma motocicleta. Com os dois, os agentes apreenderam uma réplica de metralhadora.

O caso é investigado pela Divisão de Homicídios (DH) da Capital, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. Segundo a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), as UPPs São João, Lins e Camarista Méier seguem em buscas para capturar o último suspeito de participação no crime.

Outra PM morta

Poucas horas após a morte de Samir, a policial Elisângela Bessa Cordeiro, de 42 anos, morreu em um assalto em Coelho Neto, na Zona Norte do Rio. A vítima voltava com o marido de Nilópolis, na Baixada Fluminense, onde vendia batas fritas em uma barraquinha com a família. A família suspeita que a agente lotada no Batalhão do Centro, o 5º BPM, tenha sido executada pelos assaltantes ao descobrirem que ela era PM.

Com esses dois crimes, sobe para 96 o número de PMs mortos no estado apenas neste ano. A lista de 96 PMs mortos este ano não inclui o policial do Batalhão de Ação com Cães morto em um acidente com um ônibus no dia 5 de agosto, nem o policial militar reformado Marcos Luiz da Conceição Hilário, de 53 anos, atropelado por outro PM em Rio Bonito, na Região Metropolitana do Rio na última sexta-feira.