sexta,
Dados
Nascimentos caem no Brasil pela primeira vez desde 2010, diz IBGE
Queda pode ser atribuída à epidemia de zika e à crise econômica que se abateram sobre o País no ano passado e que podem ter levado mulheres a adiar os planos de maternidade
Pixabay
Um dos locais que apresentaram maior redução foi Pernambuco, com menos 10%

As Estatísticas do Registro Civil 2016 divulgadas nesta terça-feira, 14, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam, pela primeira vez desde 2010, queda de 5,1% nos nascimentos em todas as regiões do País.

A curto prazo, a queda pode ser atribuída à epidemia de zika e à crise econômica que se abateram sobre o País no ano passado e que podem ter levado muitas mulheres a adiar os planos de maternidade. A região com menor queda foi a Sul (menos 3,8%), e a com maior queda foi a Centro-Oeste (menos 5,6%).

Pernambuco foi estado que registrou a maior queda no volume de registros de nascimentos (-10,0%) no Nordeste e no país. Roraima foi a única Unidade da Federação que apresentou aumento de nascimentos ocorridos e registrados entre 2015 e 2016, 3,9%.

No Norte, a maior queda nos nascimentos foi registrada no Tocantins, com -8,0%. No Nordeste, a menor e a maior queda nos nascimentos foram registradas no Maranhão (-2,3%) e em Pernambuco (-10,0%), respectivamente. No Sudeste, as quedas variaram de -5,1% em São Paulo e -6,5% no Rio de Janeiro. No Sul as quedas nos nascimentos foram relativamente menores, variando de -2,2% em Santa Catarina e -4,7% no Rio Grande do Sul. No Centro-Oeste, a redução no número de nascimentos foi maior para o Mato Grosso (-6,8%) e menor para o Mato Grosso do Sul (-4,0%).

A distribuição percentual dos nascimentos por grupo de idade da mãe se manteve inalterada em relação a 2015. Os nascimentos na região Norte têm maior concentração no grupo de idade das mães de 20-24 anos (29,6% dos nascimentos). Por outro lado, as regiões Sul e Sudeste têm o perfil mais envelhecido da curva de distribuição dos nascimentos por idade da mãe. Nessas regiões, o maior percentual de nascimentos ocorre entre as mulheres de 25-29 anos (Sul, 24,7% e Sudeste, 24,3%), 20-24 anos (23,5%) e 30-34 anos (22,1%)