sábado,
Defensiva
Lula diz que é alvo de perseguição para sociedade ‘esquecer que ele existiu’
Exaltando os feitos do seu governo, Lula culpou as elites por persegui-lo politicamente e disse que se for eleito novamente fará a regulação da mídia
Divulgação
Lula, ex-presidente

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a dizer neste sábado que é vítima de perseguição da Justiça e que o objetivo é fazer com que a sociedade “esqueça que o Lula existiu”. O petista foi condenado a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo juiz Sergio Moro. Ele recorre da sentença no Tribunal Regional Federal (TRF-4).

Lula também réu em outras ações da Lava-Jato e como resposta política têm dito que se candidatará à Presidência no ano que vem e iniciará nos próximos dias um périplo por estados do Nordeste para se defender politicamente das investigações em que é alvo.

— O que eles querem é criar uma animosidade na sociedade para que a sociedade esqueça que o Lula existiu — discursou o petista para uma plateia de sindicalistas da Central Única dos Trabalhadores (CUT), na quadra da escola da samba Império Serrano, que não chegou a ficar lotada.

Exaltando os feitos do seu governo, Lula culpou as elites por persegui-lo politicamente e disse que se for eleito novamente fará a regulação da mídia.

Em clima de campanha antecipada, o petista disse que lutará para se candidatar e pegou crianças no colo antes de discursar.

Lula voltou a dizer que não é ladrão e que não há provas para sua condenação à prisão e usou uma lembrança da infância para dizer porque não roubou.

— Quando eu era criança via a molecada mascando chicletes e ficava com vontade de mascar também. Eu trabalhava no bar do meu tio e quando ele ia ao banheiro eu podia roubar um monte de chicletes, mas nunca roubei porque eu não queria envergonhar a minha mãe. Ora, se não queria envergonhar a minha mãe, porque eu ia envergonhar milhões e milhões de brasileiros? — discursou o petista.