Maldade
Caminhoneiro é preso após atirar contra cadela na zona Norte de São Paulo
Após ser atingida pelo disparo, a cadela foi socorrida pelos policiais militares que participaram da ocorrência; agentes fizeram um rateio, com recursos próprios
Polícia Militar de SP
caminhoneiro atirou contra cachorro em um terminal de cargas na zona norte de São PaulO

Um caminhoneiro foi preso no final da noite da quarta-feira, 5, depois de atirar contra uma cadela na zona Norte de São Paulo. A cachorra foi socorrida por policiais militares, que fizeram um rateio para custear seu atendimento em uma clínica veterinária particular.

O caso aconteceu em um terminal de carga na Avenida João Simão de Castro, na região da Vila Sabrina, próximo ao acesso para a Rodovia Fernão Dias. De acordo com relatos de testemunhas, depois de se incomodar com os animais no local, o motorista estacionou seu caminhão, sacou uma arma e disparou contra a cadela, identificada como Pintada.

Cadela
Cadela foi atingida por tiro disparado por caminhoneiro Foto: Polícia Militar

Uma equipe de patrulhamento do 5.º Batalhão da Polícia Militar foi acionada e localizou o caminhoneiro dentro de seu veículo. De acordo com os agentes que atenderam a ocorrência, o homem confessou ter atirado contra o animal.

A arma usada pelo motorista, uma pistola PT 51 modelo Taurus, foi encontrada na carroceria de outro caminhão. O homem, detido por maus tratos contra animais e porte ilegal de armas, foi encaminhado pela Polícia Militar para o 73º Distrito Policial, no bairro do Jaçanã.

cadela zona norte tiro
Arma usada pelo motorista para disparo contra o cachorro foi encontrada na carroceria de outro caminhão Foto: Polícia Militar

Policiais fazem “vaquinha” para salvar a cadela Pintada

Após ser atingida pelo disparo, a cadela foi socorrida pelos policiais militares que participaram da ocorrência. Os agentes fizeram um rateio, com recursos próprios, para custear o atendimento de Pintada em uma clínica privada na região.

“Tentamos localizar um hospital veterinário público 24 horas, mas não conseguimos. Por isso, decidimos fazer um rateio e custear o atendimento”, explica o soldado Ribeiro, um dos policiais militares que atenderam o caso.

Cadela
Policiais militares fizeram rateio para custear atendimento da cadela ‘Pintada’ em uma clínica veterinária particular Foto: Polícia Militar

A clínica que recebeu a cadela informou que Pintada chegou ao local em condição estável e não precisou de oxigênio. Na manhã desta quinta-feira, 6, a cachorra deverá passar por novos exames.