domingo, 23 de abril de 2017
Portugal
Em cerimônia fúnebre, autoridades relembram atuação política de Mário Soares
Os ritos começaram pontualmente as 13h (horário local), com a chegada do caixão, carregado por militares, ao pátio interior do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa
cerimonia-portugal
Beto Barata/PR
Durante as homenagens, João e Isabel Soares, filhos de Mário Soares, fizeram declarações emocionadas, ressaltando a admiração e ternura que sentiam pelo pai

As cerimônias fúnebres em homenagem ao ex-presidente de Portugal Mário Soares foram encerradas por volta das 14h (horário local) e foram marcadas por discursos de autoridades portuguesas que relembraram a trajetória política de Soares.

Os ritos começaram pontualmente as 13h (horário local), com a chegada do caixão, carregado por militares, ao pátio interior do Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa. Mais de 500 convidados participaram das homenagens, segundo a Agência Lusa.

Durante as homenagens, João e Isabel Soares, filhos de Mário Soares, fizeram declarações emocionadas, ressaltando a admiração e ternura que sentiam pelo pai. Com a voz embargada, Isabel lembrou os “tempos difíceis” de quando o pai foi preso e a deportação dele para São Tomé Príncipe, o exílio em Paris mas, frisou que “nem durante esse tempo” ouviu do pai um “uma palavra de desalento ou desânimo”.

Também discursaram o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e o atual presidente do país, Marcelo Rebelo de Sousa, que destacou que Soares foi “um homem que fez história” e merecia ser homenageado em um lugar como o Mosteiro dos Jerónimos.

Houve ainda apresentação do coro e da orquestra do Teatro Nacional São Carlos.

O primeiro-ministro de Portugal, António Costa, que está em viagem oficial à Índia, enviou um vídeo que foi exibido na cerimônia, em que ressaltou a trajetória política de Soares.

“É um exemplo de gênio político, que alcançava o que parecia impossível de alcançar. É um exemplo de amor à vida e de energia criadora. É um exemplo de político que, até o fim, se assumiu integralmente como tal, consciente de que a política, feita com idealismo e convicção, é uma das mais nobres atividades humanas, por ser um serviço prestado à comunidade e ao país”, afirmou Costa.

O presidente do Brasil, Michel Temer, participou da cerimônia, ao lado do ex-presidente José Sarney. Também estiveram presentes o embaixador do Brasil em Lisboa, Luiz Alberto Figueiredo Machado, o rei Felipe VI, da Espanha, o ex-primeiro-ministro francês Lionel Jospin, o presidente da Comissão Europeia Jacques Santer, o ex-presidente do Governo espanhol e ex-líder do PSOE, Felipe Gonzalez.

Temer ressaltou que Soares intensificou as relações entre os dois países, após encontro com o presidente português Marcelo Rebelo.

O presidente Michel Temer, junto com a comitiva brasileira, se dirigiu à Base Aérea Figo Maduro. Temer e as autoridades retornarão ao Brasil nas próximas horas.

Trajetória política

Mário Soares morreu na tarde de sábado (7), aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, onde estava internado desde o dia 13 de dezembro. O governo de Portugal decretou luto oficial de 3 dias.

Ele é considerado um dos grandes nomes da democracia portuguesa. Lutou contra a ditadura na década de 70, foi preso e exilou-se na França. Voltou a Portugal, onde construiu uma respeitável trajetória política, tendo sido ministro dos negócios estrangeiros, presidente da República e primeiro-ministro. Soares também é lembrado por ter encabeçado o processo de adesão de Portugal à União Europeia.