Pelo mundo
Como no Brasil, eleitores de Camarões e da Bósnia vão às urnas neste domingo
Diferentemente do Brasil, nesses locais, as votações duram mais de dois dias e envolvem questões históricas de política, como o separatismo entre regiões
REUTERS / Dado Ruvic / direitos reservados / Agência Brasil
Clima é de tensão tanto na Bósnia quanto em Camarões porque há discussões de cunho ideológico, cultural e religioso

Eleitores da Bósnia e de Camarões também vão às urnas neste domingo, 7, para definir o futuro de seus países. Porém, nesses locais, as votações duram mais de dois dias e envolvem questões históricas de política, como o separatismo entre regiões. No Brasil, 147.302.357 brasileiros estão aptos a escolher o presidente da República, os governadores de 26 estados e do Distrito Federal, 54 senadores, 513 deputados federais, 1.035 deputados estaduais e 24 deputados distritais.

O clima é de tensão tanto na Bósnia quanto em Camarões porque há discussões de cunho ideológico, cultural e religioso. Para evitar confrontos, em Camarões, um esquema de segurança foi organizado para garantir as votações.

Os camaroneses começaram no início da manhã deste domingo a votar nas eleições presidenciais, com o atual chefe de Estado, Paul Biya – de 85 anos e no poder desde 1982 –, como favorito para a vitória, para começar seu sétimo mandato. Mais da metade dos 25 mil pontos de votação abriram pontualmente para que os 6,5 milhões de eleitores cadastrados possam exercer seu direito.

Nas regiões anglófonas separatistas, o material eleitoral chegou à noite e por via aérea, por isso que a votação vai começar com atraso, segundo informou à agência EFE uma fonte próxima à autoridade eleitoral do país.

Há forças de segurança por todos os lados e em cada um dos 4 mil colégios eleitorais das regiões do sudoeste e do Noroeste do país”, disse a fonte.

Bósnia
Cerca de 5,8 mil colégios eleitorais na Bósnia-Herzegovina abriram suas portas hoje para 3,4 milhões de cidadãos com direito a voto elejam os três membros da Presidência e os deputados do Parlamento central e dos dois Parlamentos autônomos. Concorrem às eleições cerca de 7,5 mil candidatos de 53 partidos e 36 coalizões, assim como 34 independentes.

Os eleitores podem votar até as 19h, neste pleito no qual se elege também o presidente do ente autônomo sérvio-bósnio e das assembleias dos dez cantões que compõem a Federação muçulmano-croata, o outro componente do país.

Este é o oitavo pleito desde o fim da guerra, que, de 1992 a 1995, deixou cerca de 100 mil mortos. Os primeiros resultados preliminares são esperados para várias horas depois do fechamento das urnas.

*Com informações da Agência EFE