terça,
Austrália
Após sofrer bullying, garota-propaganda mirim tira a própria vida
A empresa Akubra expressou suas condolências à família e fez apelo para que as pessoas se “ergam” contra qualquer forma de bullying
Reuters
Pai convidou todos aqueles que cometeram atos violentos contra a filha para o funeral

Após ser vítima de bullying, a garota-propaganda mirim de uma famosa marca de chapéu australiana tirou a própria vida. Ammy “Dolly” Everett, 14, ficou famosa aos 8 anos quando estrelou o comercial do chapéu Akubra.

No Facebook, o pai da garota, Tick Everett, pediu para que as pessoas tenham mais consciência sobre o problema, para que a trágica história da filha “não seja desperdiçada”.  Na postagem do Facebook, o pai de Ammy não detalhou que tipo de violência a filha foi submetida, mas afirmou que houve bullying e que a filha queria “fugir do mal desse mundo”.

Além de agradecer aos familiares, amigos e pessoas que se comoveram com a situação, Tick convidou aqueles que praticaram os atos de violência física e psicológica contra Dolly para o funeral. “Se, por acaso, as pessoas que pensaram que era só uma piada e que se sentiram superiores pelo bullying e assédio constantes virem essa postagem, por favor, venham à cerimônia e testemunhem a ruína que criaram”.

A empresa Akubra expressou suas condolências à família e fez apelo para que as pessoas se “ergam” contra qualquer forma de bullying. Também pediu para que os leitores da mensagem ficassem atentos aos seus amigos. Na Austrália, uma a cada cinco crianças disse que já sofreu bullying.

De acordo com a emissora australiana ABC, a família disse que gostaria de criar uma fundação para ajudar na conscientização do bullying, depressão e suicídio na juventude.

“Bom, por onde começo?

Eu gostaria de agradecer a todos pelo carinho e apoio durante os últimos dias, isso é realmente maravilhoso. Eu também peço desculpas por não ter conseguido responder a todas as mensagens de carinho, então em vez de gastar outra tela e outro teclado, gostaria de oferecer meus agradecimentos em uma grande mensagem.

Essa semana está sendo um exemplo de como as mídias sociais devem ser utilizadas, mas também está sendo um exemplo de como não devem ser utilizadas. Se nós pudermos prevenir que alguma outra vida preciosa se perca ou diminuir o sofrimento de outras, então a vida de Dolly não terá sido desperdiçada. Eu sei que para alguns o suicídio é considerado uma coisa covarde, mas eu garanto que essas pessoas não teriam metade da força que meu anjinho precioso tinha.

Dolly tinha a força que precisava para fazer o que ela achou necessário para escapar do mal desse mundo. Entretanto, Dolly nunca saberá a grande dor e vazio que ela deixou para trás. Enquanto digo isso, tenho alguns desafios. Se, por acaso, as pessoas que pensaram que era só uma piada e que se sentiram superiores pelo bullying e assédio constantes virem essa postagem, por favor, venham à cerimônia e testemunhem a ruína que criaram. Quanto aos fortes, vamos parar os bullys não importa aonde, mas especialmente dentro de nossas crianças. Como o velho ditado diz: você não sabe o que tem, até perder.

Obrigada a todos novamente”. Escreveu o pai.

 

 

Fonte: O Povo