quinta,
Teste
Review: Smartphone Motorola Z2 Force é realmente duro na queda
Celular da Motorola tem tecnologia ShatterShield, que torna tela inquebrável para acidentes do cotidiano
Ilustração
O visual do Moto Z2 Force é parecido com o do seu antecessor, o Moto Z

A Motorola fez de novo: lançou um celular com tela inquebrável para situações cotidianas. O primeiro a vir com essa tecnologia, chamada ShatterShield, foi o Moto X Force, o topo de linha de 2016 da marca. Agora, esse display faz parte do Moto Z2 Force, um ótimo smartphone que custa mil reais a menos do que os rivais. Leia nosso review do Moto Z2 Force a seguir.

Design

O visual do Moto Z2 Force é parecido com o do seu antecessor, o Moto Z. Ele é bem fino e tem a protuberância circular na câmera, que serve para encaixar os acessórios chamados Moto Snaps (vendidos separadamente ou em combos).

Mais uma vez, a Motorola deixou de lado a entrada para fones de ouvido tradicional. Isso pode parecer irrelevante, mas só até que você precise usar fones e só tenha aqueles antigos à disposição. Outras fabricantes, como Sony, LG e Samsung, mantêm a saída P2 como uma conveniência ainda indispensável.

A tela do Moto Z2 Force é de 5,5 polegadas e tem resolução Quad HD. O sensor de digitais fica logo abaixo dela e, com isso, a Motorola opta por deixar a criação de uma “tela infinita” para um projeto futuro.

Em nossos testes, o aparelho conseguiu aguentar bem quedas de cerca de 1,2 m de altura em piso frio e assoalho. Vale notar que o corpo do smartphone pode sofrer avarias, é apenas a tela que se propõe a ser inquebrável.

Bateria

A bateria do Moto Z2 Force aguentou bem nos nossos testes. Em vídeo, ele suportou 13 horas e 40 minutos, mais do que o dobro do iPhone 7 Plus e o Galaxy S8.

No benchmark AnTuTu Tester, ele marcou 12.576 pontos, bem mais do que o novo Zenfone 4 na sua versão mais avançada.

Com isso, a Motorola mantém a bateria como um dos seus principais diferenciais no segmento de smartphones sofisticados.

Câmeras

As câmeras da Motorola melhoraram muito nos últimos anos e o Moto Z2 Force concentra tudo que a empresa fez de melhor nesse espaço. O software da câmera é bem intuitivo, oferece ajustes avançados para quem tem intimidade com fotografia e também para quem só quer melhorar a iluminação da cena.

Como no Moto G5S, o Z2 Force conta com duas câmeras traseiras. A implementação dessa tecnologia é diferente na Motorola. Em vez da abordagem da Apple e da LG, que viabilizam um zoom sem perda de qualidade com o uso de lentes com distâncias focais distintas, o smartphone usa a câmera dupla para gerar o efeito bokeh, que pode ser ajustado à sua maneira no app depth, que pode ser acessado diretamente do álbum de fotos da Motorola (que é o Google Photos).

Dá para deixar uma pessoa colorida com o fundo preto e branco, regular o quanto plano de fundo fica embaçado ou fazer melhorias ao estilo Photoshop. O depth ainda está em modo beta e apresenta algumas inconsistências. Felizmente, o fato de estar em beta implica que correções de software serão oferecidas gradualmente para corrigir problemas.

A câmera frontal do Moto Z2 também permite fotos com bom nível de detalhamento. Em ambientes escuros, no entanto, a definição poderia ser melhor.

Configuração

A configuração de hardware do Moto Z2 Force é invejável diante da concorrência. Ele tem processador Snapdragon 835, 6 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento (com suporte a cartão microSD). Visto que o produto custa 3 mil reais, ele oferece mais benefícios de hardware do que o S8 ou o G6, ambos com 4 GB de RAM–ainda que eles tenham outras vantagens, como as telas que aproveitam bem a parte frontal.

Não constatamos problemas de desempenho em nossos testes, seja em jogos, uso de redes sociais, reprodução multimídia ou navegação na web.

Nos benchmarks, o Moto Z2 Force se mostrou um poderoso adversário no segmento topo de linha.

 

 

Fonte: Exame