sábado,
Aprenda
Guia italiano ensina a combinar macarrões com molhos ‘perfeitos’
Existem quatro parâmentros importantes para serem observados com relação ao macarrão: o formato
Ilustração
Manual foi lançado na Itália e explica aderência de cada pasta

O macarrão faz parte do dia a dia de brasileiros e italianos. Entre espaguete, penne, fusili e parafuso, os fabricantes de pasta já desenvolveram mais de 300 tipos diferentes de massas, que exigem formas de cozimento diversas, além de terem formatos e aspectos variados.

Pensando nisso, a Associação das Indústrias de Doces e das Massas Italianas (AIDEPI) fornecerá, a partir desta quinta-feira (27), um guia para ajudar a combinar cada formato a um molho ideal. É como uma espécie de “vade mecum”, útil tanto para os italianos, que consomem cerca de 24kg de massa por ano, quanto para os amantes de massas em geral.

Existem quatro parâmentros importantes para serem observados com relação ao macarrão: o formato, a combinação ou não com molhos, a intensidade do paladar e o corte. De acordo com a forma, a experiência gastronômica se torna diferente.

Em geral, os “formatos amigáveis” (como o gravatinha) combinam melhor com condimentos frescos, tais como uma massa fria com legumes. Já os formatos mais estruturados combinam com molhos mais “robustos”, como o de carne ou à amatriciana.

As pastas em formatos grandes são ideais para condimentos que combinam elegância e consistência, enquanto os “mezze maniche” são versáteis e adequados para molhos práticos e rápidos. Os macarrões de superfície porosas vão bem com molhos mais leves, enquanto os de texturas mais lisas ficam perfeitos com os mais encorpados.

 

 

Fonte: ANSA