Recuperação
Laboratório de fisioterapia da UFRN cuida de lesões de atletas
Com a participação de estudantes e docente, Liga de Estudos em Fisioterapia Esportiva presta serviços de prevenção e atendimento hospitalar para esportistas
Wallacy Medeiros/UFRN
Projeto da Lefern realiza entre 80 a 100 atendimentos por semestre

As lesões fazem parte do cotidiano de todos os atletas, sejam eles profissionais de alto rendimento ou amadores. Em comum, esses esportistas carregam a necessidade de atendimentos específicos durante processos de recuperação física em períodos incômodos da carreira. Na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), alguns deles estão recebendo atenção especial da Liga de Estudos em Fisioterapia Esportiva da UFRN (Lefern), criada em 2010 pelos professores Gildásio Lucas de Lucena e Wouber Herickson de Brito Vieira.

A ação acadêmica integrada de ensino, pesquisa e extensão, ligada ao curso Fisioterapia da UFRN, tem como principais finalidades a capacitação de alunos, o desenvolvimento didático de pesquisas e artigos científicos, além da prestação de atendimento à comunidade. O projeto presta serviços de prevenção, terapia, acompanhamento em nível ambulatorial e até mesmo hospitalar, contando sempre com a atuação de estudantes sob supervisão de docentes fisioterapeutas e outros profissionais, como educadores físicos e médicos, que promovem discussões clínicas com os discentes a respeito dos procedimentos e recursos apropriados no tratamento de cada caso, sendo esta dinâmica denominada como ambulatório didático.

O mestrando Ronan Varela, que participou em diversas frentes do projeto, explica qual é o impacto da Lefern na formação dos alunos. “Tenho muito prazer em ter feito parte do projeto. Atuei como voluntário, monitor e cheguei até a ajudar na coordenação quando entrei no mestrado. A experiência foi a melhor possível. Sem dúvida é um projeto que proporciona e facilita o processo de aprendizagem, pois tudo que fazemos é prático. Com isso, ganhamos experiência em lidar com temas comuns no cotidiano profissional como casos que envolvem ortopedia, reumatologia, neurologia, sistema cardiovascular, fisiologia do exercício e outros”, conta Ronan.

Além dos atendimentos, o projeto inclui reuniões científicas teórico-práticas que abordam temas relacionados a fisioterapia e a fisiologia esportiva e cursos realizados com a participação de alunos de variadas graduações e universidades, o que torna a Lefern um projeto interdisciplinar e multiprofissional. Com média de 30 alunos por turma, o projeto da Lefern faz entre 80 e 100 atendimentos por semestre, segundo o coordenador do projeto e professor do Departamento de Fisioterapia da UFRN, Wouber Herickson de Brito Vieira.

O professor conta que recebe, diariamente, demandas de atletas buscando tratamento. “São muitos pedidos, felizmente, e já tivemos atletas e profissionais até de outros países que vieram conhecer ou se tratar conosco. Atletas que atuam na Rússia, República Tcheca e Cazaquistão já passaram na Lefern. Nosso trabalho é sempre bem recomendado”, revela o coordenador. Além do atendimento amplo e integrado, que envolve diversos profissionais e alunos de graduação, mestrado e doutorado, a estrutura disponível na UFRN é muito diferenciada, o que eleva os atendimentos realizados na Instituição ao mais alto padrão na área. “Nossa estrutura é excelente. Temos um ginásio terapêutico e aparelhos como o dinamômetro isocinético, que hoje é a máquina padrão para avaliação de desempenho, existindo somente os aparelhos da UFRN no Estado”, conta Wouber.

A estrutura ampla do Departamento de Fisioterapia proporcionou parcerias com clubes de futebol de Natal como ABC, América e Santa Cruz. Há alguns anos os atletas contratados por esses clubes, em períodos importantes do calendário esportivo, como a pré-temporada, passam por baterias de avaliações físicas e fisiológicas junto aos profissionais da Lefern. “Os aparelhos e o conhecimento que geramos são fundamentais nas parcerias com os clubes de futebol durante a pré-temporada deles, já que são contratados muitos jogadores neste período e eles acabam por realizar avaliações conosco”, explica o professor.

A contrapartida dos clubes, em alguns casos, vem sendo feita por meio de doações simbólicas de materiais estruturais básicos como elásticos, bolas, entre outros, importantes durante os atendimentos à comunidade no semestre. Contudo, o professor Wouber destaca qual é o principal objetivo da Lefern: “Não é financeiro e sim acadêmico, isso é importante destacar, pois tudo que fazemos se torna pesquisa. As análises e os atendimentos se transformam em Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), artigos, viram parte de monografias, por exemplo, isso tudo é conhecimento gerado”, completa o docente.

Pacientes

Jogadores de futebol não são os únicos contemplados com os atendimentos da Lefern. Atletas de esportes como corrida, basquete, vôlei e futsal também transitam entre os aparelhos da Liga. Foi o caso de Neilson Santana, profissional de futsal e professor de Educação Física. “Fiz muitos tratamentos ao longo da carreira no Departamento de Fisioterapia da UFRN. Desde antes da Lefern, junto ao professor Gildásio de Lucena, já recebia apoio na recuperação de algumas lesões que tive. Infelizmente foram lesões em locais como lombar, mãos e joelho, e recebi uma atenção e um carinho muito grande em todas as oportunidades que necessitei de tratamento”, conta Neilson, atleta experiente e de carreira vitoriosa no futsal e no beach soccer potiguares.

Além de destacar a relação humanizada dos atendimentos realizados pela Liga, o goleiro destaca as condições de recuperação. “Em relação a estrutura física, de aparelhos e conhecimento fisioterápico, não existe nada igual nos clubes. Tenho muita satisfação em falar desse projeto e sempre faço questão de indicar com muita segurança para qualquer pessoa”, conta Neilson.

Hoje formado em Educação Física, Neilson Santana conta que também recebe apoio da Lefern no tratamento dos seus alunos do Colégio Salesiano São José, onde atua como docente. “Já tive aluno com lesão grave de joelho, que tinha medo de colocar o pé no chão e que hoje está recuperado, graças ao trabalho do professores Gildásio, Wouber e dos alunos”, conta o atleta. Aos 40 anos, a carreira vitoriosa como goleiro em diversas modalidades como futsal e beach soccer, marcada por passagens em grandes times como Alecrim, América e ABC, está próxima do fim, segundo ele mesmo. No último campeonato estadual de futsal, Neilson foi vice-campeão pelo União Futebol Clube, da cidade de Goianinha, e agora espera para definir se e em qual clube disputará o estadual deste ano.

Serviços

O carro chefe da Lefern são os atendimentos em ambulatório. Contudo, convites especiais para prestação de serviços de apoio em competições sempre são avaliados com atenção pela coordenação. Em todos os esses anos, a equipe da Lefern esteve presente em competições como os Jogos Gerais da UFRN, Jogos Sul-Americanos da Juventude e partidas realizadas pela Federação Norte-Rio-Grandense de Futebol (FNF).

Os atletas interessados devem entrar em contato, como explica o coordenador da Lefern, Wouber Herickson de Brito Vieira. “O projeto recebe todos os atletas, sejam amadores ou profissionais, desde que eles atendam alguns requisitos. É preciso relembrar que a Lefern não é apenas um ambulatório de atendimento, nós somos um laboratório de estudos, essa é a prioridade. Os interessados devem procurar o Departamento de Fisioterapia da UFRN, a partir de um encaminhamento médico especializado, informando que deseja ser avaliado pela Lefern. O atendimento após isso depende da demanda existente. Não podemos garantir o atendimento de todos, mas nos esforçamos para isso”, completa.