Publicidade
Camisa 10
Diego se destaca e abre disputa com Arrascaeta no meio-campo do Flamengo
Meia saiu do banco e fez a jogada que levou ao cruzamento de Bruno Henrique e ao gol de Willian Arão contra o Corinthians
Alexandre Vidal / Flamengo
Diego, meia do Flamengo, durante jogo contra o Corinthians pela Copa do Brasil

O técnico Abel Braga deve fazer mistério nos próximos jogos quanto ao meio-campo do Flamengo. E o motivo é a disputa interna entre Diego e Arrascaeta por uma vaga no setor, principalmente depois da atuação dos dois na vitória sobre o Corinthians por 1 a 0, na noite de quarta-feira, pela ida das oitavas de final da Copa do Brasil.

No banco de reservas nas últimas semanas, Diego saiu do jogo em alta. Foi ele quem iniciou a jogada que levou ao cruzamento de Bruno Henrique e ao gol de Willian Arão. O experiente meia também se destacou nas partidas contra o Peñarol, pela fase de grupos da Copa Libertadores, e diante da Chapecoense, pelo Brasileirão.

Ao mesmo tempo, Arrascaeta vem caindo de produção nas últimas partidas. Contra o Corinthians, fez partida apagada. Para piorar, o uruguaio viu a equipe ganhar em ofensividade com a entrada de Diego. “Ele está pedindo passagem”, admite Abel Braga.

“Eu dou as chances, procuro agir com justiça, nunca com sacanagem. O Arrascaeta está tendo a chance. Vai ter um momento em que tem que subir, crescer [de produção]. Ele tem uma capacidade incrível. Como só tenho um lado esquerdo e só posso colocar 11, alguém tem que esperar. Por enquanto, está sendo o Diego”, comenta o treinador.

Diego ainda tem a seu favor a maior conexão com o clube e a torcida. Não por acaso. Chegou ao Flamengo em 2016 e já tem seu currículo dois títulos do Campeonato Carioca e maior regularidade. Arrascaeta, por sua vez, joga sob a pressão de ser a contratação mais cara da história do clube carioca. Custou 13 milhões de euros (cerca de R$ 55 milhões no câmbio de janeiro, no momento da compra).

Outra possível dúvida no setor é Willian Arão. Mas o gol marcado na quarta só aumentou a confiança e o status de titular do volante. Abel garante que o jogador está garantido no seu time. “Uma das maiores críticas que recebo é sobre o Arão. E eu não vou tirar o Arão do time”, assegura o treinador.

“O Arão entra muito bem na bola quando está do lado oposto. É uma jogada de triangulação com o Pará, Everton Ribeiro e Arão. Hoje só saiu uma vez, jogo fora de casa, classificatório. É um jogador que dá o equilíbrio que todo jogador gosta”, diz Abel, ao enumerar as qualidades do jogador.

Publicidade
Publicidade