sexta, 26 de maio de 2017
Tetra
Cristiano Ronaldo conquista prêmio de melhor jogador do mundo da Fifa
A votação foi realizada pelos capitães e técnicos das seleções filiadas à Fifa, além de jornalistas e torcedores, a novidade desta edição
Reprodução
Cristiano Ronaldo, melhor do mundo pela quarta vez

Cristiano Ronaldo foi eleito o melhor jogador do mundo pela quarta vez. Em cerimônia realizada em Zurique, na Suíça, nesta segunda-feira (9), a Fifa anunciou o grande vencedor do prêmio “The Best” entre os homens e confirmou o favoritismo do português, que deixou para trás o argentino Lionel Messi e o francês Antoine Griezmann. Sendo assim, o craque do Real Madrid volta a se aproximar do atacante do Barcelona em números de prêmios individuais. Nenhum jogador do clube catalão compareceu na premiação.

A votação foi realizada pelos capitães e técnicos das seleções filiadas à Fifa, além de jornalistas e torcedores, a novidade desta edição. Este foi o primeiro prêmio após o rompimento da entidade máxima do futebol com a revista “France Football”, que voltou a entregar a tradicional Bola de Ouro separadamente, o que não acontecia desde 2010. CR7 também foi o grande vencedor.

“Ano passado foi um sonho. Uma temporada incrível. Estou muito orgulhoso dos meus companheiros e técnicos”, afirmou CR7, que deixou Ronaldo Fenômeno e Zidane (três títulos cada) para trás. Em 2016, dois títulos pesaram muito em sua eleição, o da Liga dos Campeões da Uefa com o Real Madrid e o da Eurocopa com Portugal. “Gostaria que Messi e os outros jogadores do Barcelona estivessem aqui, mas eles têm um jogo da Copa (do Rei) na quarta. Entendemos perfeitamente”, completou.

A cerimônia ainda foi marcada por homenages a duas lendas do futebol que faleceram em 2016. O holandês Johan Cruyff e o brasileiro Carlos Alberto Torres.

Mulheres

Além de eleger o melhor do mundo entre os homens, a Fifa anunciou a melhor jogadora de futebol do mundo e a norte-americana Carli Lloyd superou a alemã Melanie Behringer, campeã olímpica, e a brasileira Marta e levou o “The Best”. Lloyd vence o prêmio pela segunda vez consecutiva. A craque do Brasil tentava o sexto na carreira (não vence desde 2010).

Entre os treinadores de futebol feminino, Silvia Neid, ex-comandante da seleção alemã e campeã olímpica, foi a grande vencedora. Ela superou Jill Ellis, técnica da seleção dos Estados Unidos e Pia Sundhage, treinadora da seleção sueca. Esta foi a terceira vez que Neid venceu, já que ela foi congratulada também em 2010 e 2013.

A cerimônia também divulgou a seleção da temporada, com os melhores jogadores de cada posição. Dois brasileiros ficaram entre os 11: o lateral direito Daniel Alves, da Juventus e o lateral esquerdo Marcelo, do Real Madrid.

A equipe ideal de 2016 foi a seguinte: Manuel Neuer (Bayern de Munique e Alemanha), Daniel Alves (Juventus e Brasil), Pique (Barcelona e Espanha), Sergio Ramos (Real Madrid e Espanha) e Marcelo (Real Madrid e Brasil); Luka Modrić (Real Madrid e Croácia), Toni Kross (Real Madrid e Alemanha) e Andrés Iniesta (Barcelona e Espanha); Lionel Messi (Barcelona e Argentina), Luis Suárez (Barcelona e Uruguai) e Cristiano Ronaldo (Real Madrid e Portugal).

E se fosse preciso um técnico para comandar essa seleção, o escolhido seria Claudio Ranieri, do Leicester, que ganhou o prêmio de melhor treinador de 2016 após levar o pequeno clube ao título do Campeonato Inglês. Ele superou Zinedine Zidane, do Real Madrid, e Fernando Santos, de Portugal.

Outro brasileiro a levar um prêmio para casa foi Falcão, do futsal, que foi homenageado pela carreira dedicada ao esporte.

Torcida

Uma novidade foi a entrega do prêmio para a melhor torcida do ano. Concorreram os fãs do ADO Den Haag, da Holanda, do Borussia Dortmund, da Alemanha juntos com os do Liverpool, da Inglaterra e também da seleção da Islândia, que deu  show durante a Eurocopa de 2016. E o prêmio foi para as torcidas do Borussia e do Liverpool, que cantaram juntos a música “You’ll Never Walk Alone”, com 45,92%, ante 31,37% dos islandêses e 22,71% do Den Haag.

Fair Play

Outro prêmio foi o Fifa Fair Play, entregue ao Atletico Nacional pelo incrível respeito demonstrado à Chapecoense após a tragédia em Medellín, que dizimou o time de Chapecó. Com homenagens de sua torcida e, principalmente, por ter abdicado do título da Copa Sul-Americana de 2016, o Atletico demonstrou ser um time gigante e passou a ser admirado por torcedores de todo o mundo.