Investimento
Seis novas escolas estaduais serão construídas no Rio Grande do Norte
Previsão é que ainda em fevereiro empresas contratadas deem início às obras e em meados de dezembro as escolas sejam entregues; investimento é da ordem de R$ 26.511.879,98
José Aldenir/ Agora Imagens
Imagem ilustrativa

As novas unidades de ensino irão possibilitar a oferta de matrículas para atendimentos a 3.000 novos estudantes. As escolas foram pensadas dentro de critérios técnicos de sustentabilidade e conforto térmico, adotando uma série de medidas de maior eficiência energética e maior aproveitamento de recursos naturais, com soluções como: reuso das águas pluviais em vasos sanitários e mictórios, reuso do esgoto tratado em irrigação de jardins e áreas verdes, captação de energia solar por meio de painéis fotovoltaicos localizados na cobertura das escolas. Tais medidas visam à redução de custos de operação e manutenção.

A sustentabilidade nos projetos está definida pela tomada de decisões em suprir as necessidades dos usuários, sem comprometer o futuro das próximas gerações. Assim, está diretamente relacionada ao desenvolvimento econômico e material sem agredir ao meio ambiente, usando os recursos naturais de forma inteligente para que eles se mantenham no futuro.

A previsão é que, ainda em fevereiro, as empresas contratadas deem início às Obras. O investimento é da ordem de R$ 26.511.879,98 (vinte e seis milhões, quinhentos e onze mil, oitocentos e setenta e nove reais e noventa e oito centavos). A entrega das escolas está prevista para dezembro de 2018. 

As novas unidades serão localizadas nas cidades de Macaíba (Traíras), São Gonçalo do Amarante, (Loteamento Plaza Garden), Muriú (E. E. Augusto Xavier de Góis), Ceará Mirim, (Assentamento do Rosário), João Câmara (Comunidade indígena Amarelão) e Caraúbas (Assentamento 1º de Maio).