Custo alto
Privilégio do ‘Auxílio-Moradia’ da Justiça do Trabalho é recorde: R$197 milhões
Justiça do Trabalho custou cerca de R$17 bilhões no ano de 2016, dos quais R$15,9 bilhões (93,5%) bancaram apenas os salários dos 56 mil servidores
Reprodução/ TST
Fachada do Tribunal Superior do Trabalho

Justiça mais cara do Brasil, mais dispendiosa que toda a justiça norte-americana, a Justiça do Trabalho terá em 2018 o total astronômico recorde de R$197,7 milhões para gastar apenas em “auxílio-moradia”, ainda que os magistrados beneficiados tenham casa própria na cidade onde atuam.

Tanto dinheiro para bancar esse privilégio único no mundo consta da Lei Orçamentária aprovada no Congresso e já sancionada. A informação é do colunista Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

O Ministério das Relações Exteriores gasta bem menos em auxílio-moradia dos seus funcionários lotados em 225 postos mundo afora.

A Justiça do Trabalho custou R$17 bilhões em 2016, dos quais R$15,9 bilhões (93,5%) bancaram apenas os salários dos 56 mil servidores.

O “auxílio-moradia” dos procuradores custará R$124,1 milhões e a mesma conta, no meio militar, alcança R$115,9 milhões.

A maioria pobre do País paga o “auxílio-moradia” do mesmo grupo de servidores federais cujos privilégios a reforma da Previdência combate.