sexta,
Receita
Petrobrás reverte prejuízo e tem lucro líquido de R$ 266 milhões no 3º trimestre
De julho a setembro, o Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da companhia recuou 13,65% para R$ 19,223 bilhões
Fábio Motta / Estadão
Companhia divulgou os resultados financeiros do terceiro trimestre nesta segunda-feira, 13

A Petrobrás encerrou o 3º trimestre com lucro líquido de R$ 266 milhões, revertendo o prejuízo de R$ 16,458 bilhões registrado em igual trimestre de 2016.

De julho a setembro, o Ebtida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da companhia recuou 13,65% para R$ 19,223 bilhões, ante o mesmo período do ano anterior.

Já a receita com vendas somou R$ 71,822 bilhões no trimestre, alta de 1,96% na comparação com o ano anterior.

O impacto do impairment (baixa contábil) de ativos e de investimentos tiveram um efeito negativo de R$ 222 milhões no resultado do terceiro trimestre.

No período, a alavancagem líquida da companhia ficou em 51% e a dívida bruta totalizou R$ 359,412 bilhões. O lucro operacional de abastecimento no trimestre foi de R$ 3,579 bilhões, uma ligeira redução se comparado com o terceiro trimestre do ano passado, quando o lucro da divisão somou R$ 3,652 bilhões.

A previsão para o terceiro trimestre era de um resultado melhor e ainda de retomada do acesso a dinheiro público via Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A Petrobrás esperava contratar, na época da divulgação dos resultados do segundo trimestre, mais R$ 2 bilhões com o banco público até dezembro, dos quais cerca de R$ 1 bilhão seriam na linha Finame, para máquinas e equipamentos. Desde 2015, o BNDES estava impedido de dar novos empréstimos para a Petrobrás, por causa do excesso de exposição à estatal – acima, até mesmo, do permitido pelo Banco Central (BC).

No segundo trimestre deste ano, o balanço financeiro da Petrobrás ficou marcado por fatores pontuais que não devem aparecer nos números de meses seguintes, destacou o diretor financeiro da petroleira, Ivan Monteiro, em coletiva de imprensa realizada em agosto.

O ganho de R$ 6,7 bilhões relativo à venda da operadora de gasodutos Nova Transportadora do Sudeste (NTS) engordou a receita no último trimestre. Já as despesas com os programas de regularização das dívidas tributárias – com destaque para Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) – somaram R$ 6,234 bilhões no período de abril a junho. Ambos não devem se repetir nos resultados do terceiro trimestre.

Refis. No trimestre passado, a decisão de aderir aos Refis do governo federal, programas que dão desconto para a regularização de dívidas tributárias, impediu que a companhia s tivesse um lucro maior no segundo trimestre. O lucro líquido da Petrobrás no segundo trimestre somou R$ 316 milhões, 14,6% abaixo do registrado em igual período 2016. A queda nas vendas de combustíveis no mercado interno também atrapalhou o desempenho da companhia naquele trimestre.