Publicidade
Para Sandra Rosado, presidente Dilma promove reforma econômica no Brasil

A líder do PSB na Câmara dos Deputados, deputada federal Sandra Rosado (RN), classificou como “louvável” as alterações na remuneração da poupança, anunciadas na última quinta pela presidente Dilma Rousseff. Para a deputada potiguar, a presidente preserva a poupança, diminui os juros e os impostos e garante uma grande reforma econômica no Brasil. “Com a remoção desses obstáculos em relação às taxas de poupança e os juros, Dilma procura preservar os poupadores, principalmente aqueles que acreditaram na poupança, sem que haja especulação financeira disso”, disse Sandra.

A líder do PSB explicou que o objetivo do governo é, além de reduzir os juros, evitar uma eventual migração em massa para a poupança, que passaria a ser bem mais atraente do que outros investimentos caso o critério de remuneração permanecesse o mesmo.

Sandra participou da reunião com a presidente Dilma Rousseff na última quinta-feira no Planalto. Ela relata que, em diferentes momentos do encontro, a presidenta anunciou que haverá uma espécie de gatilho cada vez que a taxa básica de juros, a Selic, atingir 8,5% ao ano. “Quando o percentual for menor ou igual a 8,5%, a poupança vai pagar 70% da Selic, mais a variação da Taxa Referencial, TR. Caso a Selic fique acima dos 8,5%, a remuneração da poupança segue o critério atual, ou seja, 6,17% ao ano, mais a variação da TR”, explicou a deputada federal, que integra, na condição de liderança nacional do PSB, o Conselho Político do governo federal.

Publicidade
Publicidade