Publicidade
Intenção
Governo Federal pretende aumentar rentabilidade e permitir saques do FGTS
Mudanças ainda estão apenas em fase de estudos; de acordo com secretário do ministério da Economia, anúncio das medidas devem vir a médio prazo
Impacto da mudança será grande, disse o secretário
Dida Sampaio / Estadão

Os estudos do Ministério da Economia para mudar regras do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) incluem mexer nas alíquotas cobradas de trabalhadores e empregadores, também a possibilidade de sacar os recursos e ainda elevar a rentabilidade, afirmou nesta quinta-feira, 9, o secretário especial da Fazenda, Waldery Rodrigues.

Segundo o secretário, será uma medida de médio prazo, mas ainda sem data para ser anunciada. “Para o FGTS, está sendo pensado passar por uma reforma, incluindo mudar a rentabilidade, que hoje é negativa”, afirmou Rodrigues a jornalistas, ao deixar o 31º Fórum Nacional, organizado pelo economista Raul Velloso, no Rio.

Segundo o secretário, as mudanças no FGTS exigem mais tempo de planejamento porque o estoque do fundo é de cerca de R$ 500 bilhões, com impactos maiores na economia. A reforma faz parte de estudos sobre 128 fundos públicos.

A liberação de saques do PIS/Pasep poderá estar pronta em quatro meses, segundo o secretário. Mais cedo, Rodrigues disse que poderiam ser liberados de R$ 21 bilhões a R$ 22 bilhões do PIS/Pasep.

Publicidade
Publicidade