Publicidade
Preocupação
Fapern quer continuidade de programas de pós-graduação do Nordeste
Presidente da Fapern, Gilton Sampaio, participou do Fórum do Conselho Nacional de Fundações de Estaduais de Amparo à Pesquisa
Julio Rezende / Google Imagens
Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (Fapern)

O presidente da Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (Fapern), Gilton Sampaio de Souza, demonstrou preocupação com os cortes nas bolsas de mestrado e doutorado, recentemente anunciados pelo governo federal.

“Os programas de pós-graduação com nota 3 ou 4 instalados no Nordeste nos últimos anos não podem ser avaliados da mesma forma que outros instalados em outras regiões já beneficiadas historicamente pelos governos brasileiros.”

O presidente da Fapern participou do Fórum do Conselho Nacional de Fundações de Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), realizado de 5 a 7 de junho, em João Pessoa (PB).

Entre os temas abordados, foi ressaltada a importância do foco no desenvolvimento regional, ressaltado sobretudo na condição de redutor das assimetrias existentes. De acordo com o presidente do Confap, Evaldo Ferreira Vilela, a união das diferenças com criatividade pode ser capaz de criar um novo movimento em que a ciência, tecnologia e inovação atuem como fator de desenvolvimento econômico e social no País. “Nosso maior problema hoje é a desigualdade e só podemos combatê-la por meio da educação, ciência, tecnologia e inovação. Precisamos pensar no futuro e estamos aqui para renovar nossas forças e planejá-lo juntos”, destacou.

Representando o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Marcos Pontes, o secretário de Políticas para Formação e Ações Estratégicas do MCTIC, Marcelo Morales, destacou que as Fundações tem respondido aos desafios enfrentados no fomento à ciência, sendo importante braço na disponibilização de recursos. “As FAPs são pilar importante do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação no fomento à pesquisa. Para o governo federal, essa parceria com os governos estaduais é muito importante, principalmente no momento de crise que estamos passando no País”, reforçou.

O governador da Paraíba, João Azevedo Lins Filho, presente à solenidade de abertura, acrescentou que tem dado atenção especial à educação e à ciência e tecnologia que, segundo ele, têm que ser tratada como sistema sério e integrado. “Consideramos a educação desde a básica até os níveis mais altos de pós-graduação e a Paraíba tem ido além e feito investimentos constantes que a elevaram à nona posição no ranking de competitividade dos estados e à primeira colocação na região Nordeste. Nosso Estado tem de manter os investimentos e buscar atrair novos investidores”, pontuou de forma estratégica.

O evento foi organizado pela Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq) e reuniu representes das FAPs, Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), agências nacionais de fomento, organismos internacionais, autoridades estaduais e imprensa.

(A assessora de imprensa participou do evento em João Pessoa, a convite do portal Nossa Ciência)

Para saber mais leia:

Nossa Ciência e Confap

Veja mais fotos.

Publicidade
Publicidade