Publicidade
Turismo
Com desoneração do QAv da aviação, RN decuplicou frequências de voos
Novo regime de concessão especial de tributação prevê cinco alíquotas do ICMS, partindo de 12% e podendo chegar a até 0%
José Aldenir / Agora RN
RN tem sido um dos destinos bem visitados com a desoneração do QAv

O Rio Grande do Norte iniciou o mês de novembro com 29 voos de frequência semanal. O número é 10 vezes superior às frequências que existiam um ano atrás, quando o Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, recebia três frequências por semana.

Os números de frequências aéreas, segundo a Secretaria Estadual de Turismo (Setur), mostram o sucesso da nova política de isenção de impostos sobre o querosene de aviação para as empresas que atuam no Rio Grande do Norte.

Em vigor desde 16 julho deste ano, o novo regime de concessão especial de tributação prevê cinco alíquotas do ICMS, partindo de 12% e podendo chegar a até 0%. “As companhias Latam e Azul tiveram redução de 12% para 9%; já a Gol caiu de 9% para 5%”, detalha a secretária de Turismo, Aninha Costa.

Com a atual quantidade de voos, o Rio Grande do Norte alcançou uma conectividade superior à do Paraguai, que hoje é um dos grandes captadores de turistas da América do Sul.

Além disso, a Setur está buscando parcerias para fortalecer o desembarque de turistas internacionais. Uma das metas da atual gestão é promover o destino potiguar para países da Ásia, principalmente a China.

Durante esta semana, a titular da Setur se reuniu com representantes da Câmara de Desenvolvimento Brasil-China. O encontro deu início a uma discussão de parcerias comerciais e culturais entre os dois países. Uma possibilidade é a de se promover o intercâmbio entre “cidades irmãs”: Macau (cidade da Costa Branca potiguar) e Macau (região autônoma na costa sul da China continental).

“A Câmara de Desenvolvimento Brasil-China vai enviar uma proposta de parceria com a gente. Queremos criar esta aproximação com eles. Os chineses ficaram encantados com a história da Macau potiguar, que será uma espécie de ‘cidade-irmã’ da região homônima chinesa”, explicou Aninha Costa.

Ainda segundo a secretária, o Rio Grande do Norte pode receber turistas chineses a partir de 2020. A titular da Setur detalha que já existe um voo direto entre Macau, na China, e Lisboa, em Portugal. E, no próximo ano, serão retomados os voos diretos entre Portugal e o Rio Grande do Norte.

Publicidade
Publicidade