Cinema
Novo Festival de Cinema do Rio Grande do Norte tem inscrições até 25 de março
Fest Cine RN quer buscar o novo que se produz na área cinematográfica no Brasil e no Rio Grande do Norte, diz o idealizador do evento
Divulgação
Edson Soares, idealizador do Fest Cine RN

O mundo do cinema vai muito além do que as grandiosas produções hollywoodianas que miram o Oscar como destino final, e Natal quer seu lugar para se transformar em uma atração no calendário nacional da sétima arte. Para isso, vai lançar a primeira edição do Cine Fest RN (Festival de Cinema do Rio Grande do Norte), de 24 a 29 de abril, que está com inscrições abertas até o próximo 25 de março para a seleção dos 25 filmes que estarão na mostra competitiva para longas e curtas-metragens que ainda não foram exibidos no circuito comercial.

Idealizador e um dos realizados do Cine Fest RN, o cineasta Edson Soares frisa que o projeto está orçado em R$ 300 mil e é 100% financiado pelo Banco Mundial através do programa Governo Cidadão do executivo estadual via Secretaria de Turismo. Segundo ele, é o mesmo programa que já financiou o Festival de Cinema de São Miguel do Gostoso, o Festival Bossa & Jazz e o espetáculo Cantata dos Mártires. “ São recursos do Banco Mundial (World Bank Group) destinados exclusivamente para projetos que agreguem Turismo e Cultura”, reforça.

CINEMA E CRISE

Edson Soares destaca que o desafio do Cine Fest RN, mesmo em contexto de crise, é reunir um retrato da produção cinematográfica brasileira que se mantém em alta, com uma média de 100 filmes lançados por ano, “graças ao advento do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA)”.

O Rio Grande do Norte, pontua, também tem produzido bons curtas e conseguido projeção internacional com isso. Segundo ele, um dos objetivos é traçar um raio-x do novíssimo cinema brasileiro. “ Há muitos jovens cineastas despontando no cenário cinematográfico nacional, apesar das crises”.

Sobre as tentativas de o Rio Grande do Norte se firmar no competitivo mundo dos festivais de cinema no país e dos fracassos como foi o Festival de Cinema de Natal, Edson Soares reflete que o Cine Fest RN não difere em nada dos festivais atuais ou que já existiram no estado. “Não queremos ser diferentes, nem se sobrepor nem concorrer com outros festivais. Também não buscamos uma projeção nacional. Se ela vier, que seja bem-vinda”.

O realizador explica quer o objetivo é trabalhar para exibir excelentes filmes nunca vistos no estado, e mapear a produção potiguar além de fazer com que cineastas e produtores “venham ao RN, e depois saiam falando bem do nosso povo”. Porém, ressalva, o projeto tem uma proposta e uma política: “Buscamos o novo, o inédito; estamos abertos para novas linguagens. Queremos descobrir talentos ou pessoas que tenham algo inovador a dizer. Queremos filmes que gerem debates. Queremos histórias originais. Um filme brasileiro provocou polêmica em Cannes? Esse nos interessa. Uma obra brasileira causou sensação em Berlim? Estamos de olho nela. Um produtor potiguar se destacou em um festival internacional? Ele entra na mira da nossa bússola. Interessa-nos o novo, o inusitado, o extravagante, o original”.

TROFÉUS

O Cine Fest RN vai homenagear com o troféu Elefante de Ouro  um ator ou atriz com nomes ainda não divulgados. O Elefante de Prata será destinado a um diretor ou entidade do segmento que tenham prestado importante colaboração ao desenvolvimento da arte cinematográfica brasileira, e o Elefante de Bronze irá para uma personalidade do cinema pelo conjunto de sua obra.

O regulamento para as inscrições estão no site oficial do Cine Fest RN (http://www.cinefestrn.com.br)  nas três modalidades: longas-metragens; curtas nacionais; e curtas potiguares. Serão selecionados cinco longas e dez curtas em cada modalidade que serão escolhidos pelo conselho curador composto por jurados, segundo a coordenação do evento, com comprovada experiência em audiovisual. Os escolhidos serão anunciados no site oficial do festival e na imprensa, dia 1º de abril.

Na categoria longas o melhor filme terá premiação de R$ 5 mil; melhor diretor, R$ 3 mil, melhor ator, R$ 3 mil e melhor atriz, R$ 3 mil.

O festival vai exibir os filmes no Cinemark Natal no Shopping Midway Mall, e haverá mostras itinerantes nas zonas Norte e Sul de Natal e na Praia da Pipa.Paralelo às mostras cinematográficas será realizado o Concurso Fotográfico ‘Cultura no Elefante’, para profissionais e amadores, com objetivo de mostrar a diversidade cultural e as belezas turísticas do Estado potiguar, com inscrições e regulamento no site do Festival.

Esta primeira edição do festival é uma realização da Engady Cine Video e Governo do Estado do RN por meio da Secretaria de Estado do Turismo do RN, com recursos do Governo Cidadão via empréstimo do Banco Mundial.