sexta,
Publicidade
x fechar anúncio
Diversidade
Músicos do Glomus farão apresentação neste sábado no Parque da Cidade
Durante o Glomus, músicos estrangeiros vão interagir em oficinas com músicos locais, professores, alunos de mestrado, doutorado e professores
Reprodução
No Parque da Cidade, os africanos vão mostrar a sua cultura com música e dança

Veja também

No próximo sábado (14), o Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte será o palco da união de povos de todos os continentes, que falam línguas e dialetos diferentes, mas se entendem por meio dos instrumentos musicais e da dança. Assim é o Glomus 2017, que está em sua quinta edição e pela primeira vez sendo realizado num país do continente americano. Ou seja, primeira vez no Brasil, primeira vez em Natal. As apresentações acontecerão no pátio de eventos, a partir das 16h30. A entrada é grátis.

O Acampamento Glomus combina várias atividades e reúne participantes de diferentes países dos cinco continentes que apresentam, por meio da música e da dança, as suas tradições. Os acampamentos são bianuais e está trazendo quase 200 músicos de 29 países para várias apresentações em Natal durante 10 dias. Fundada por três academias nórdicas de ensino superior de música, a Rede Glomus visa desenvolver projetos de colaboração para melhorar a comunicação intercultural, conhecimento, compartilhamento, capacitação e desenvolvimento organizacional e interação musical para inspiração mútua e inovação.

No Glomus, os integrantes dos países ricos financiam a participação dos integrantes dos países pobres. As atividades da rede são emblemáticas e iniciaram no ano de 2009 em Moçambique. Em 2011 foi a vez de Gana sediar o acampamento que se realizou em Cape Coast e em Accra. Em 2013 aconteceu na Tanzânia e 2015 em Sarawak, Malásia. A UFRN foi a responsável por atrair o Glomus 2017 para a América do Sul e escolhida para organizar o evento pela sua infraestrutura, tendo o professor de Música, Fábio Presgrave, como coordenador do evento.

Durante o Glomus, músicos estrangeiros vão interagir em oficinas com músicos locais, professores, alunos de mestrado, doutorado e professores da Academia Sibelius de Helsinki, Finlândia e da Escola Real de Dança da Dinamarca com jovens aprendizes das ONGs Atitude Cooperação, Conexão Felipe Camarão, Oficina de Sonhos, além da Orquestra Funffec de Cordas, do município de Luís Gomes. Todos juntos compuseram uma peça musical para a abertura do Glomus.

No Parque da Cidade, os africanos vão mostrar a sua cultura com música e dança. A África é um continente com uma diversidade cultural, étnica e linguística bastante vasta e a cultura brasileira recebeu influência em vários aspectos das matrizes africanas. O samba, por exemplo. O Parque da Cidade recebeu, no mês de novembro, o músico Adama Keïta que veio do Mali conhecer a nossa cidade, um pouco da nossa cultura e divulgar o Glomus. “Para nós, é uma honra receber um evento cultural desse porte e o Parque da Cidade é um espaço que tem tudo a ver pela sua beleza natural e arquitetônica. Com certeza, será um grande evento e o público está convidado a participar”, diz, Carlos da Hora, gestor do Parque.