Som
Concerto “Do Nordeste ao Jazz” acontece no município de Luís Gomes neste mês
Musical reúne a Orquestra Funffec de Cordas, da Fundação Francisca Fernandes Claudino, e o renomado maestro e saxofonista português, Eugènio Graça
Assessoria de Imprensa
Espetáculo tem entrada gratuita e reúne o maestro Eugènio Graça com a Orquestra Funffec de Cordas

No dia 27 deste mês, o município de Luís Gomes, região do Alto Oeste Potiguar, recebe o espetáculo/concerto “Do Nordeste ao Jazz”, na Igreja Matriz Sant’Ana, às 20h, com entrada gratuita. O musical reúne a Orquestra Funffec de Cordas – OFC, do curso de cordas friccionadas da Fundação Francisca Fernandes Claudino (FUNFFEC), do próprio município, e o renomado maestro e saxofonista português, Eugènio Graça, residente em Natal desde 2009 e conhecido por sua regência a frente da SESI Big Band.

“Do Nordeste ao Jazz” tem objetivo de mostrar a ligação e as heranças musicais do jazz trazidas no período da II Guerra Mundial, quando a cidade do Natal foi sede de tropas americanas, na década de 40, trazendo transformações físicas e culturais, dando início a vida noturna, com bailes e festas. A partir daí, a música do nordeste, em especial no RN, passou a absorver várias características jazzísticas que se fazem notar em gêneros como baião, xote e choro.

O público vai presenciar tais influências e transportar-se musicalmente para esse momento através da Orquestra de Cordas e do Saxofone Solo, entoando, no repertório, clássicos do jazz por composições de Glenn Miller, G. Gershwin e Duke Ellington, a clássicos do baião e do xote, eternizados por Luiz Gonzaga e Sivuca, além dos choros de Waldir de Azevedo e Pixinguinha; tangos de C. Gardel e Astor Piazzolla. E, não poderia ficar de fora, a famosa valsa “Royal Cinema”, do compositor potiguar Tonheca Dantas – composta antes da Guerra, porém tocada e ouvida também em Londres durante todo o período.

O concerto, conta com apoio do Sesc/RN e do Sebrae/RN, e pretende incitar a cidadania em sentido amplo, incluindo o aprimoramento cultural por meio da música, promovendo a possibilidade do estimulo estético, a formação de público e a interação entre o saber histórico e a música.

A OFC, de Luís Gomes/RN, conta com 24 músicos divididos entre violinos, violas, violoncelos e contrabaixos, sob orientação de maestro Leonardo Oliveira. Para esse espetáculo, de aproximadamente 1h30, os arranjos são inéditos e será conduzido pelo maestro Eugènio Graça, que também tocará saxofone em algumas obras.