Publicidade
Arte e cultura
Aulas de dança e música levam mais de 1,6 mil pessoas ao Teatro Municipal
Na dança, há formação em cinco estilos: balé, jazz, dança contemporânea, dança popular e capoeira. Na música, tem instrumentos de sopro e percussão, teclado, violão e canto
Ana Amaral / Prefeitura de Parnamirim
Público assiste espetáculo no Cine Teatro Municipal de Parnamirim

Inaugurado há quase cinco anos com a proposta de ser um espaço multiuso, o Cine Teatro Municipal Paulo Barbosa da Silva atende atualmente mais de 1,6 mil pessoas com aulas de dança e música em Parnamirim. Com salas dedicadas às atividades e um time de instrutores, o teatro tem fortalecido a área de formação de artistas, dando oportunidade para que floresçam talentos nascidos na cidade. Todas as formações são gratuitas para a população.

Na dança, o teatro oferece formação gratuita em pelo menos cinco estilos: balé, jazz, dança contemporânea, dança popular e capoeira. Somadas todas as turmas, são 650 alunos de idades variadas. E a procura pela dança tem aumentado – tanto que, do ano passado para 2019, o número de vagas disponibilizadas ao público dobrou.

Parte do aumento da procura se deve à realização no município do Festival Tanz, que terá a quarta edição entre os dias 19 e 23 de junho. Em 2018, foram mais de 400 apresentações de escolas oriundas de Fortaleza (CE), João Pessoa (PB) e Mossoró (RN). “Para atender a demanda, a gente até transformou algumas salas para este ano”, conta Haroldo Gomes, presidente da Fundação Parnamirim de Cultura, órgão da Prefeitura responsável pela gestão do teatro.

Haroldo Gomes relata que alguns dançarinos formados no Teatro de Parnamirim já obtiveram bons resultados em festivais realizados em Campina Grande (PB) e em Mossoró. E no balé, crianças a partir de cinco anos de idade têm a chance de ter o primeiro contato com a dança.
Com relação à música, os alunos inscritos no Teatro de Parnamirim têm formação em instrumentos de sopro e percussão, teclado e violão, além de canto. Neste ano, o número de vagas disponibilizadas saltou de 300 para 960 – o que levou a Fundação de Cultura a cogitar a formação de uma banda.

“A ideia é que ela funcione em um novo formato. Seria uma banda mais profissionalizada, para que a gente possa fazer inclusive alguns concertos nos bairros. A gente quer uma banda mais organizada, com repertório firme que nos possibilite fazer apresentações de 45 minutos”, destaca o presidente da Fundação.

Presidente da Fundação Parnamirim de Cultura, Haroldo Gomes – Foto: José Aldenir / Agora RN

Segundo Haroldo, a instalação do teatro em Parnamirim foi um importante ganho para a vida cultural da cidade. Antes do equipamento, o município não dispunha de um espaço para que artistas da terra pudessem expor seus talentos. “Nosso palco é muito apropriado para espetáculos de dança. Tanto que, por aqui, já recebemos grandes companhias”, registra ele, lembrando que, nos últimos três meses do ano passado, a programação do teatro ficou repleta de atrações.

Sala de espetáculos tem programação interrompida para obra

Apesar de as atividades de formação em dança e música estarem funcionando a pleno vapor, o principal espaço do Teatro de Parnamirim, a sala de espetáculos, está com a programação interrompida em função da necessidade de reparos no teto. O local só deverá reabrir para apresentações no segundo semestre.

No ano passado, a sala de espetáculos chegou a ser interditada pelo Corpo de Bombeiros. Após ajustes feitos pela Prefeitura, o local foi liberado pelas autoridades, mas novos reparos serão necessários após a identificação de vazamentos.

De acordo com Haroldo Gomes, uma empresa contratada pela Fundação de Cultura fez um estudo da situação e indicou que reparos terão de ser feitos. Uma licitação já foi aberta para contratar os serviços, e todo o teto vai receber melhorias. A previsão é de que a obra custe R$ 500 mil.

Publicidade
Publicidade