quarta, 26 de abril de 2017
Conscientização
Unidade de Saúde de Nova Natal promove projeto de combate às drogas
Projeto surgiu a partir de dados levantados que mostraram que jovens da região estavam apresentando consumo preocupante de álcool e tabaco, além de drogas
1
Reprodução
Desde o início de 2016, o projeto acontece pelo menos uma vez por mês nas escolas João Paulo II e Mirian Coeli

Evitar que os jovens entrem no mundo das drogas é um dos grandes desafios da sociedade atual. Diante dessa realidade, a Unidade de Estratégia de Saúde da Família (ESF) de Nova Natal resolveu iniciar um projeto voltado para essa temática.

O ‘Diga sim à vida e não às drogas’ surgiu a partir de dados levantados na região que mostraram que jovens da região estavam apresentando um consumo preocupante de álcool e tabaco, além de drogas ilícitas como maconha, cocaína, LSD, ecstasy, heroína e crack. “Percebemos a necessidade de expor uma conscientização de professores e pais desses jovens sobre essa temática. Além de mostrar para esses estudantes que a droga não traz benefício algum”, afirmou o dentista Roberto Medeiros Millions, um dos idealizadores do projeto.

Desde o início de 2016, o projeto acontece pelo menos uma vez por mês nas escolas João Paulo II e Mirian Coeli. A escolha por essas duas instituições de ensino não foi por acaso. “Dados apresentados pelo Ministério Público mostraram que nessas duas escolas existia um consumo de drogas preocupante, então resolvemos começar o projeto por elas. A ideia não é fazer nenhuma fiscalização, mas sim fazer um trabalho de prevenção”, explicou o dentista.
O primeiro passo para o desenvolvimento do projeto foi a reunião com o corpo docente das escolas e também com os pais dos estudantes, que receberam um questionário sobre o tema. A partir dos resultados obtidos, foram desenvolvidas atividades com os alunos, como palestras sobre os males causados pelas drogas, além de apresentações de vídeos.

“Na medida que o projeto vai sendo desenvolvido, os estudantes passam a ter um conhecimento maior sobre as consequências que as drogas trazem à vida de cada um, inclusive os transtornos para a família, no convívio social e no rendimento escolar”, frisou Roberto Medeiros, que complementou. “A ideia é que esses jovens aprendam a negar quando lhe oferecerem algum tipo de droga”.