Publicidade
Campanha LGBT
Após polêmica, post com alunos do Churchill se beijando é apagado da web
Grêmio Estudantil Clara Camarão, que representa os alunos da escola, assumiu a autoria da postagem, mas negou que o corpo diretivo da instituição tenha tido participação no ato
Reprodução / Google Maps
Fachada da Escola Estadual Winston Churchill, em Natal

A postagem atribuída a um perfil da Escola Estadual Winston Churchill no Instagram, que contava com três imagens de adolescentes insinuando beijos na boca, foi apagada após ter repercussão negativa na internet. O perfil, que não há confirmação sobre ser oficial, também foi apagado da rede social.

Tudo aconteceu neste final de semana. O perfil publicou as imagens como forma de apoiar a Semana Mundial de Combate a LGBTFobia (preconceito contra gays, lésbicas, bissexuais e transsexuais). Em pouco tempo, após exposição do conteúdo no blog do jornalista Gustavo Negreiros, as reações negativas começaram a ser registradas.

Dentro do blog, diversos internautas comentaram as imagens.
“Onde vamos parar com essa esculhambação”, escreveu Joel. “Que tempo!”, admirou-se Wagner Medeiros. Pelo print publicado pelo jornalista, naquele momento a postagem contava com 17 curtidas no perfil atribuído à instituição de ensino estadual.

Procurada, a assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Educação e Cultura (SEEC) negou ter tido participação no episódio. Segundo a pasta, não houve qualquer orientação para publicação do conteúdo e nem tampouco para exclusão do post juntamente com a conta. A diretoria do Winston Churchill também foi procurada, mas não se manifestou.

Em nota encaminhada à reportagem, o Grêmio Estudantil Clara Camarão, que representa os alunos da escola, assumiu a autoria da publicação e disse que o corpo diretivo da instituição estadual não teve participação no ato, embora as imagens tenham sido veiculadas em um perfil que levava seu nome. A organização também repudiou “discursos de ódio e incitação ao preconceito feitos por blogueiros e por alguns de seus seguidores.”

Apesar de as imagens terem sido postadas no Instagram em modo público, a reportagem do Agora RN optou por não reproduzi-las mais após solicitação dos alunos retratados.

*Atualizadas às 15h51 para correção e acréscimo de informações.

Publicidade
Publicidade