Documento
Defesa Civil emite relatório de vistorias em lagoas de captação da capital
Durante as vistorias, os agentes analisaram toda a estrutura física das lagoas, como também o nível de água, estado das bombas de sucção, necessidade de limpeza e outros pontos
Assessoria de Imprensa
No total, 49 lagoas foram vistoriadas pela equipe de agentes da Defesa Civil Municipal

A Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social (Semdes) finalizou nesta terça-feira, 9, a vistoria preventiva nas lagoas de captação de águas pluviais da capital. No total, 49 lagoas foram vistoriadas pela equipe de agentes da Defesa Civil Municipal. O resultado das avaliações foram condensadas num relatório de ações preventivas que foi enviado a Procuradoria Geral do Município (PGM).

Durante as vistorias, os agentes analisaram toda a estrutura física das lagoas, como também o nível de água, estado das bombas de sucção, necessidade de limpeza e outros pontos importantes para o pleno funcionamento dos equipamentos. A medida busca evitar possíveis transbordamentos dos reservatórios e inundações de ruas próximas em períodos de chuvas.

No geral, a análise aponta para um bom estado dos equipamentos, porém algumas situações pontuais que poderiam causar algum tipo de transtorno foram observadas, a exemplo de limpeza no interior das lagoas para melhor acomodação das águas, o funcionamento pleno de algumas bombas responsáveis por deslocar a água de um local para outro e ligações clandestinas jogando de maneira irregular dejetos no interior dos reservatórios. No relatório estão enumeradas toda as situações encontradas. Especificando a lagoa de captação, a localização e os pontos que devem ser observados para o melhor funcionamento.

Um ponto importante detectado pelos agentes de Defesa Civil Municipal, é o acúmulo de lixo urbanos em alguns locais. Nessa situação, é preciso que a população fique atenta para não depositar lixo nessas áreas, já que esse tipo de atitude pode comprometer o funcionamento das bombas de sucção e também é um dos principais motivos de obstrução das bocas de lobos, que são as portas das galerias de escoamento de água de chuva.

O relatório entregue a PGM deve ser encaminhado as secretarias municipais que têm responsabilidade em resolver cada situação encontrada pela Defesa Civil, de modo que no período chuvoso a cidade tenha suas lagoas de captação de águas pluviais em perfeito estado.