quinta,
Nova visão
Arquitetas apresentam nesta quarta projeto para preservar ambulantes do Alecrim
Autoria do projeto é das arquitetas Rayanna Cabral e Camila Nobre, doutorandas na área de urbanização; apresentação foi viabilizada pelo vereador Sandro Pimentel
Comércio do Alecrim, em Natal
José Aldenir / Agora Imagens
Comércio informal do bairro do Alecrim

Acontecerá às 17h desta quarta-feira, 6, por iniciativa do vereador Sandro Pimentel (PSOL), uma sessão popular da Câmara Municipal do Natal no bairro do Alecrim cujo objetivo principal será apresentar para os demais vereadores da Casa e diversos outros setores interessados um projeto de reurbanização da região que visa preservar o comércio informal da localidade. A autoria do projeto é das arquitetas Rayanna Cabral e Camila Nobre, doutorandas na área de urbanização.

Juntas, elas idealizaram um novo olhar sobre o Camelódromo do Alecrim e apresentaram o projeto aos ambulantes, que aprovaram e agora fazem dele os seus posicionamentos quanto as intenções do Poder Executivo para a região (a Prefeitura do Natal tenta já há alguns meses aplicar um processo de reordenamento no bairro). Entre os participantes da sessão popular também devem estar representantes do Ministério Público e da própria Prefeitura.

Segundo a arquiteta Rayanna, há uma preocupação em manter o comércio de rua do bairro. Para ela, por se tratar de uma cultura que já está diretamente atrelada à história da localidade, o comércio informal não pode deixar de existir, independentemente das intenções que a Prefeitura tenha diante do processo de reordenamento anunciado há cerca de dois meses.

De acordo com ela, faz parte da ideia restringir o acesso de veículos a determinadas vias da região (como a Av. Presidente Bandeira e a Av. Coronel Estevam). Nestes casos, os carros particulares ficariam impedidos de trafegarem pelo quarteirão onde está localizado o Camelódromo, sendo autorizados apenas os veículos do transporte público. Atualmente, as discussões por parte da Prefeitura do Natal quanto ao projeto de reordenamento do Alecrim estão paralisadas e só deverão ser retomadas em janeiro.