sábado, 27 de maio de 2017
Confira
GNV: o que você precisa saber antes de instalar o kit gás no veículo
A primeira dica para quem pensa em fazer a instalação do kit do gás em qualquer estado do país é buscar uma oficina homologada pelo Inmetro
Reprodução
Confira os prós e os contras da instalação do kit gás no seu automóvel

Pensando em instalar um kit de gás natural no carro para reduzir o gasto com consumo de combustível? Antes de realizar a conversão, confira nossas dicas e informações sobre o serviço que costuma ser mais vantajoso para quem roda bastante com o automóvel.

Procure uma oficina credenciada

A primeira dica para quem pensa em fazer a instalação do kit do gás em qualquer estado do país é buscar uma oficina homologada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). A relação de estabelecimentos está disponível no site do órgão. Mauricio Brazioli, dono da Osasgás, instaladora localizada em Osasco (SP), diz que hoje há uma fila de espera de dez dias. “No ano passado, o número de conversões cresceu 100% em relação a 2015. Apenas nesse último mês de janeiro fizemos 100 instalações, contra 40 em 2016.”

Quanto custa

O serviço leva um dia e custa, em média, R$ 3.990. O preço é referente ao kit Geração 5, considerado o mais moderno.

Economia de combustível

De acordo com levantamento feito em fevereiro deste ano pela Associação Brasileira das Empresas de Gás Canalizado (Abegás), a economia com uso do GNV em comparação à gasolina varia entre 43% e 58% (de acordo com o preço na bomba, e de 44% a 66% em comparação ao etanol.

O custo médio do quilômetro rodado com GNV em São Paulo, segundo a Comgás, é de R$ 0,17, enquanto com gasolina pode chegar a R$ 0,36 e com etanol, R$ 0,39. Significa que, com R$ 30, o motorista roda 177 km com gás natural veicular, 84 km com gasolina e 77 km com etanol.

Perda de potência

Ainda há perda de potência nos carros com o GNV, mas com os avanços tecnológicos do kit Geração 5, disponíveis desde 2010, a perda de potência foi reduzida em torno de 10% (considerando o equipamento anterior, Geração 3), ou seja, hoje a potência fica 3% menor.

Uso do porta-malas

A perda de espaço para bagagem por conta da instalação do cilindro continua sendo um problema, mesmo com a diversidade de tamanhos de equipamentos oferecida atualmente. Em alguns veículos, como o Renault Duster e a Chevrolet Spin, essa questão foi resolvida com a instalação do kit na parte externa do veículo.

Perda da garantia

Mesmo sendo certificada pelo Inmetro quando feita nas oficinas autorizadas, a conversão para GNV faz com que o veículo perca a garantia dada pela montadora. Algumas concessionárias e revendedoras, como a Chevrolet Nova Veículos, da capital paulista, oferecem a instalação do kit de gás natural veicular como item opcional, com garantia de um ano da loja para o serviço.

Combustível menos poluente

O GNV polui menos do que os combustíveis líquidos. Ele registra emissão de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera em média 20% mais baixa na comparação com a gasolina e 15% inferior se comparado ao etanol.

Onde abastecer

Vale lembrar que o gás natural veicular não é encontrado em todos os postos. A Comgás tem uma rede de 271 locais com a opção do GNV em sua área de concessão (Grande São Paulo, Campinas e região, Vale do Paraíba e Baixada Santista).

 

 

Fonte: Auto Esporte